..

"A alma que não se abate, que recebe indiferentemente tanto a tristeza como a alegria, vive na vida imortal."Fonte - Bhagavad-Gita

segunda-feira, 13 de junho de 2011

Coitadinho de mim!!!




Refletindo sobre alguns acontecimentos desta semana, fiquei pensando se me faço entender.

 Muitas vezes passo dicas a respeito do yoga, para que as aulas tenham um conteúdo maior, como se estivéssemos praticando em uma escola de yoga.

Isso tudo com certeza não é para o meu crescimento, meu karma eu estou traçando.

Cada bate papo ou texto e para cada um de vocês, a opção é... escuto e processo o que eu achar legal naquele momento ou fico vomitando e questionando para o vizinho.

A vivência desta filosofia não tem uma receita pronta, muito do que serve pra mim pode não servir pra você... então ok... yoga é uma prática de conhecimento e desenvolvimento não de “julgamento”.

Fico me perguntando onde estou errando, pois se vocês saem da sala de yoga com questionamento e ficam pelo corredor comentando se é bom ou ruim... tudo isso é sinal de que estou falhando e que vocês não estão entendendo nada, ou pior não querem entender. A pergunta é... Por que você faz Yoga?

Pois se você procura essa filosofia, como um complemento para o seu treino na musculação, preciso te contar então uma verdade, você está perdendo seu tempo. Vá procurar uma modalidade que não te faça pensar muito.

Cá entre nós, pare de se colocar na posição do “coitadinho de mim”, não vou mais fazer tal coisa porque fulano nem olhou pra mim... não quero mais falar com a minha amiga porque ela esqueceu de me ligar... Pelo amor de Deus, vamos crescer minha gente. Você nem sempre vai escutar o que quer ouvir e nem sempre as coisas vão andar do jeito que você queria. E eu não vou passar a mão na
cabeça sempre, quero que vocês cresçam.

Ahh, preciso dizer que tudo isso porque alguém me perguntou sobre beber água durante a aula de yoga, expliquei que seria melhor não... e algumas pessoas deixaram de fazer yoga por conta disso!

Tenho certeza que vai muito além do beber água, mas não vou entrar neste mérito, cada um sabe o caminho que segue.

 Então vai aqui uma explicação do renomado professor yoga Osnir Cuginotta, sobre este assunto:

Não se deve beber água nem antes nem durante nem depois da prática, seja ela de asanas ou de pranayama. O tempo que se deve esperar para beber água depois da prática deve ser de pelo menos meia hora. A razão para isso é que durante a prática de asanas e pranayamas nós mudamos a direção natural dos vayus. A inspiração consciente dirige o prana, que é normalmente ascendente para baixo. A expiração consciente promove a elevação do assoalho pélvico (mula bandha), o que conduz apana vayu, que é normalmente descendente para cima.

Durante a retenção, após a inspiração, samana vayu é acionado e isso une prana e apana direcionando-os para a boca do sushumna Nadi, direcionando, assim, a kundaliní para cima.

Essa ascensão da energia depende diretamente de samana vayu, se comermos ou bebermos algo logo após a prática de asanas ou pranayama, samana vayu, que é responsável pelas assimilações, ficará ocupado e não será possível sua atuação em prol da autorrealização, e esta depende inteiramente da ascensão da kundalini.

De maneira similar, se houver a necessidade de esvaziar a bexiga pelo consumo de água antes ou durante a prática, apana novamente voltará a fluir para baixo, neutralizando, assim, os aspectos mais importantes e profundos da prática.

Se bebermos água ficaremos apenas com os benefícios físicos e não com os mais sutis que é o que difere o Yoga de uma simples atividade física.

Osnir Cuginotta, professor de Hatha Yoga, do Espaço Shivalaya, São Paulo

 

Ps: Caso não deseja mais receber os e-mail me avise, para que eu possa desconecta-lo desta egregora. 

 

Gratidão

Lu

Nenhum comentário:

Postar um comentário