..

"A alma que não se abate, que recebe indiferentemente tanto a tristeza como a alegria, vive na vida imortal."Fonte - Bhagavad-Gita

segunda-feira, 30 de abril de 2012

Festival Wesak










Olá Amados,


Estamos entrando em um mês muito importante, onde vão ocorrer dois eventos de profunda canalização. Vou falar sobre o primeiro; que é o FESTIVAL de WESAK  a primeira lua cheia de maio, a celebração maxima do Budismo em Homenagem a Lord Gautama. Na sexta-feira que antecede o acontecimento, vamos realizar meditação para canalização deste evento.


Lord Gautama, foi o primeiro ser de evolução terrena a ascender a um cargo de tanta responsabilidade e elevação; domina sobre todos os assuntos transcendentes da evolução do Planeta. Atingiu o mais alto grau de conhecimento e sabedoria possível ao homem da Terra.


Somente a última encarnação de Lord Gautama foi revelada, mas sabe-se que suas duas últimas encarnações ajudaram a iluminar o mundo. A última encarnação foi como Sidarta Gautama, nascido no ano de 564 a.C. na India. Aos 29 anos, preocupado com os problemas do sofrimento humano, como a velhice, a doença e a morte, saiu em busca de conhecimentos; tornou-se asceta errante por seis anos e depois atingiu o estado de “Iluminado”.


Ele não somente compreendeu a essência da vida do universo, como percebeu que a sua própria vida estava respirando em perfeita harmonia com todo o ritmo cósmico. Ele mostrou então ser um Buda, o Iluminado. 





Festival de Wesak

Ensinamentos da Antiga Sabedoria consideram Wesak o momento mais significante do ano, quando um real evento celestial ocorre e se manifesta sobre a Terra. Considera-se que o Festival de Wesak seja um tempo em que o próprio Deus, transmitindo através de Buda e de Cristo, envia um benção para a Terra. Durante séculos tem sido celebrado na Índia e sempre ocorre na Lua Cheia de Buda. Durante esse tempo, a humanidade pode se alinhar completamente com forças espirituais que não estão à disposição em outras ocasiões do ano. A força dessa benção nos estimula espiritualmente e nos deixa mais preparados para servir completamente ao Plano Divino.


Próximo ao Nepal e rodeado pelas montanhas dos Himalaias, fica uma área de terra protegida. Um caminho, entre passagens estreitas, eventualmente se abre para um vale coberto de grama. Vários dias antes da Lua Cheia, buscadores espirituais entram no vale e aí montam tendas coloridas. Na parte norte do vale há uma grande rocha plana onde é colocada uma grande vasilha de cristal cheia de água. Logo antes da Lua Cheia, Cristo, os Senhores, os Mestres, os Arcanjos e os Iluminados que guiam o planeta Terra se reúnem ao redor dessa rocha para orar.

Poucos minutos antes do momento exato da Lua Cheia, pode se ver uma pequena luz no céu. Enquanto Buda envia sua Benção de Iluminação e Cristo envia sua Benção de Amor, a estrutura atômica e molecular da água se altera, recebendo uma infusão de Sabedoria. Ela é então distribuída em pequenas porções e levada ao mundo para ser compartilhada.

O Festival de Wesak é um momento poderoso de intenso serviço espiritual, feito da Humanidade para Deus e de Deus para a Humanidade, através de Buda e de Cristo. Durante os 8 minutos dessa celebração, o universo inteiro faz uma ligação unindo a humanidade com a Fonte da nossa criação, a que chamamos Deus. Os efeitos espirituais permanecem até o próximo Festival de Wesak.





domingo, 29 de abril de 2012

Entendendo os Kosha






O Yoga, em virtude de ser uma ciência, é o direito natural da humanidade, o que implica em não pertencer a nenhuma seita ou grupo de pessoas, nem a nenhum país ou mesmo religião. Eu não estaria errada em dizer que a Índia é a terra do Yoga porque aqui é que este conhecimento foi preservado. Foi nesta terra que este conhecimento foi mantido vivo por muitos séculos entre as turbulências das guerras e da história e, por isso, devemos agradecer a estes grandes seres, os rishis e munis, que foram os cientistas originais deste planeta.
Cientistas são aqueles que, com completa liberdade de mente, sem nenhuma fobia ou noção preconcebida, exploram e experimentam profundamente, dentro das camadas misteriosas do universo e da vida. Neste sentido, os rishis foram cientistas porque eles devotaram inteiramente suas vidas a explorar o terreno misterioso da vida interior. Com a maior honestidade, coragem, sinceridade e dedicação eles gastaram seu tempo desvelando as profundas camadas da mente e da consciência, descobrindo seu poderoso potencial e a fonte de onde tudo se originou. Sim, o crédito de todas estas descobertas vai para os antigos rishis e munis da era vêdica, assim como os créditos dos mistérios da matéria vão para os cientistas da era moderna.
Claro que, naqueles tempos eles não eram conhecidos como cientistas. Eles eram conhecidos como rishi, que significa vidente, ou muni, que significa sábio, ou sannyasin, que significa aquele que entregou a si mesmo à vontade divina. Embora, às vezes, eles sejam confundidos com monges ou religiosos sectários, não é este o caso. Eles podem ter nascido em determinada religião, assim como eu nasci hindu, você muçulmana ou cristã, mas isto não influenciou sua busca do mistério chamado ‘vida’. Quem sabe qual religião eles seguiam naqueles tempos vêdicos pré-históricos? Nós não podemos dizer com certeza, pois sabemos muito pouco sobre aquela época e o que os historiadores nos contam é mera especulação.
Assim como a única realidade que os cientistas modernos conhecem e acreditam é a da matéria, a única realidade que estes cientistas acreditavam era a da consciência. Sua busca inteira era nessa direção, porque eles acreditavam que o propósito da vida era descobrir o infinito, esta realidade que não é submetida a declínio e morte. O finito perece e, após gastar muita energia, o indivíduo finalmente percebe que a fonte deste mundo finito é o que deve ser capturado, pois nela reside a habilidade de gerenciar ambos, o mundo finito e o infinito.
Foi esta magnífica busca, cheia de dificuldades e perigos, que os conduziu ao despertar de vijnanamaya kosha, e é por causa dos registros que deixaram para trás que hoje podemos sentar e discutir este importante tema. De outra maneira, nós nem saberíamos que temos um vijnanamaya kosha!
Os Cinco Koshas
De acordo com a ciência do Yoga, existem cinco koshas ou bainhas, camadas que envolvem este corpo físico, que se parece com o núcleo de uma cebola encoberto por várias camadas. No caso dos koshas, cada um deles é mais e mais imperceptível ao olho nu que o seu precedente. Podemos dizer que estes koshas podem ser percebidos com abertura do terceiro olho, em estado de meditação.
Annamayakosha
O primeiro é annamayakosha, que é a camada física feita de alimento. Anna significa alimento. O grão que você come é chamado anna e o corpo composto de alimento é o que você pode tocar, ver e sentir. Ele é o substrato para os koshas sutis, que também assumem a forma e o tamanho do corpo.
Pranamaykosha
Mais sutil e não visível ao olho nu é pranamaya kosha, o qual em lugar de alimento é constituído de prana ou energia. Você pode supor que seu corpo é envolvido por este campo de prana e quando você deixa esta sala, você vai levá-lo junto. Embora você não possa vê-lo, pranamaya kosha segue você aonde quer que você vá.
Entretanto, se você aumenta sua consciência através das práticas de Yoga, então você verá pranamaya kosha na forma de uma aura que envolve seu corpo. Muitas pessoas nascem com este dom natural. Elas são capazes de ver a aura das pessoas e determinar o que está armazenado nela, porque esta aura muda continuamente de acordo com o seu estado de saúde. Até mesmo seu humor influencia a aura prânica. As frases ‘verde de inveja’ ou ‘vermelho de raiva’ são umas poucas indicações de vibrações emitidas pela aura de acordo com nosso estado mental.
Manomaya kosha
Além de pranamaya kosha, este corpo físico é envolvido por uma energia mais sutil que é puramente mental em sua natureza, conhecido como manomaya kosha. É neste nível de manomaya que o chatushtaya antahkarana, que compreende os quatro órgãos da mente - manas ou mente, buddhi ou intelecto, ahamkara ou ego e chitta ou memória - começa a perceber, analisar, registrar, entender, racionalizar, discriminar, aceitar, rejeitar e comparar, somente para nomear algumas das milhares de funções que ele realiza em nossas vidas sem esforço. Sem manomaya kosha nós não seríamos melhores do que vegetais sentados na prateleira da cozinha!
Este kosha é o assento do conhecimento empírico (para). Ele observa o mundo à volta, e embora um instrumento de consciência interna, ele tem a capacidade de externalizar a atenção assim como de internalizá-la. Quando está sobre a influência dos sentidos, está totalmente ocupado com os impulsos recebido do mundo dos cheiros, sons, cores, toques e sabores. Mas existem períodos, quando insatisfeita com a natureza finita destas experiências, em que a mente salta para dentro e, nesta hora, recebe impulsos do Ser, que recarrega e rejuvenesce manomaya kosha.
Isto acontece no estado de meditação também e é por isso que a meditação amplia os horizontes da mente, afia o intelecto, coloca o ego em sintonia com a natureza e fortalece chitta, a memória.
Vijnanamaya kosha
Além de manomaya ou mente está a camada da intuição ou vijnanamaya kosha. E é desnecessário dizer que ele é mais sutil que todos os koshas precedentes. A Taittiriya Upanishad elucida a existência de vijnanamaya kosha da seguinte maneira: “Separado do ser contido na mente, existe um outro ser composto de conhecimento intuitivo. Este também possui a forma da uma pessoa como os koshas precedentes. Fé é sua cabeça, Tasye shraddaiva shiraha; retidão é sua asa direita e verdade é sua asa esquerda, hritam dakshinah pakshaha satyamuttarah pakshaha; Yoga é sua alma, Yoga atma; e maha é seu alicerce, maha puchham partishtaha”.
Koshas e LokasInteressantemente, ao definir que maha é o alicerce de vijnanamayakosha, a upanishad nos dá uma dica de como os koshas estão conectados com os lokas, que são planos de consciência que o indivíduo experimenta ao elevar sua consciência de annamaya para pranamaya prosseguindo para manomaya e vijnanamaya. Os sete (sapta) lokas são bhu, bhuvar, swar, maha, jana, tapo e satya. Enquanto bhu, bhuvar e swar - níveis terreno, intermediário e divino respectivamente - estão relacionados com annamaya, pranamaya e manomaya, maha, o nível dos siddhas (seres perfeitos), jana, o nível dos rishis e munis, e tapo, o nível das almas liberadas, se referem ao despertar, estabilização e iluminação de vijnamayakosha.
Satya loka, o plano da bem-aventurança definitiva, corresponde a anandamayakosha, que é a própria consciência pura. A Taittitiya Upanishad define anandamayakosha como tendo a forma de uma pessoa cuja cabeça é o amor, alegria é sua asa direita, o deleite (apreço) é sua asa esquerda, bem-aventurança é seu tronco e Brahman é seu suporte ou alicerce.
Maha loka, o nível dos siddhas ou santos, é o alicerce ou suporte de vijnamayakosha. É a partir daqui que a superestrutura da consciência elevada é construída. Se o alicerce for estremecido, em outras palavras, se os siddhis que começam a se manifestar se tornam objeto de foco ou de satisfação, então o siddha certamente cairá para planos inferiores de consciência. Entretanto, se ele não permitir que os siddhis distraiam a consciência, especialmente quando ele está em estado de samadhi, então a ascensão da consciência para planos mais altos como jana, a realidade dos rishis e munis, e tapo, a realidade das almas liberadas, os jivanmuktas e videhamuktas, é definitivamente assegurada.
De Vijnanamaya para Anandamaya
O descrito acima é um passo tão importante na elevação da consciência que Patanjali em seu Raja Yoga Sutras devotou uma seção inteira a este megaevento, quando a consciência se torna capaz de perceber as quatro dimensões de tempo: passado, presente, futuro e eternidade. Patanjali nomeou este evento, quando os siddhis se manifestam, como vibhooti. Ele o chama de consumação do Yoga e alertou o aspirante para evitar ser distraído por este acontecimento. Esse estado é o equivalente a paroksha anubhuti, ou consciência de um único ponto sem a consciência de si mesmo. Aprofundamento na consciência de paroksha anubhuti conduz o praticante a aparoksha anubhuti, que corresponde à bem-aventurança de anandamayakosha.
Assim você pode dizer que vijnanamaya é a porta de entrada para anandamaya. As experiências de vijnanamaya proporcionam vislumbres do que está armazenado para você assim que sua consciência começa a experimentar a pura alegria. Mas a experiência novamente diminui ou cessa devido a alternância entre distrações e mente focada. Todos os siddhas e santos devem ter passado por este estágio antes de alcançar a iluminação. Os contos sobre Buddha, que antes de alcançar o nirvana encontrou demônios e donzelas encantadas, assim como a história dos 40 dias e noites que Cristo foi tentado antes de experimentar Deus, apontam nessa direção.
Quando acontece o despertar em vijnanamayakosha, siddhis começam a se manifestar. O praticante se torna vidente e telepático, começa a saber muitas coisas sobre as pessoas e sobre eventos mesmo antes que eles aconteçam. Essa coisas aparecem a ele na forma de sonhos, pensamentos ou visões. Ele pode ser capaz de aparecer em vários lugares, a várias pessoas, ao mesmo tempo. Desenvolve o poder de ler os pensamentos dos outros e também, de modificá-los.
Ou pode desenvolver poderes de cura. Suas palavras, toque, um olhar podem curar a doença mais mortal que nenhum médico conseguiu curar. Em alguns casos excepcionais, dependendo da extensão deste advento no nível de vijnanamayakosha, ele pode ser capaz de ressuscitar alguém ou entrar no corpo de outra pessoa. Uma pessoa assim pode ser confundida com Deus, o que talvez tenha acontecido com muitos que não conheciam as manifestação dos siddhis, através do poder do Yoga, quando o despertar de vijnamayakosha acontece.
O Yoga declara, corajosamente, que você não é somente o corpo percebido com os olhos, nem é somente sangue, ossos, medula, músculos, nervos e os diferentes órgãos que o mantém vivo. Você é muito mais do que isso. De fato, o que você conhece de você mesmo com o olho é sustentado pelo que você não pode ver. Se a parte que você não vê deixasse de existir, a parte vista por você definharia e morreria. Esta parte não vista é composta dos cinco koshas mencionados acima. O objetivo de todas as práticas de Yoga, sem exceção, é energizar e despertar estes koshas até que, enfim, você vivencie vijnanamaya kosha. Este é o propósito do Yoga.


Trecho de Satsangs on Yoga, de Swami Satyasangananda Saraswati

sexta-feira, 27 de abril de 2012

Horóscopo Xamânico








A sabedoria dos povos nativos enxerga nos animais um poder que está escondido em todos os homens. Descubra o seu!




GANSO
De 21/12 a 20/01 - A Lua da Renovação da Terra

O Ganso pode ser muito severo, mas isso acontece apenas porque, no fundo da sua alma, é um idealista. Gosta de explorar o desconhecido e por isso enfrenta a vida com entusiasmo. É perfeccionista e com freqüência sério demais. Quer chegar longe e por isso é ambicioso e perseverante, ainda que às vezes possa ser rígido demais. No amor, pode ser egoísta, muito centrado em si mesmo. Deve aprender a rir mais e a ser mais carinhoso com o parceiro.

Combina com Castor, Urso Pardo e Corvo
Deve cultivar: Sociabilidade, expressão emocional.
Deve evitar: Dúvidas e pessimismo.
Planta: Framboesa
Mineral: Peridoto
Cor: Branco
Direção: Noroeste
Medicina do Ganso: Caracteriza-se pelo valor inerente à capacidade de manter-se fiel aos próprios princípios e ideais.





LONTRA
De 21/01 a 20/02 - A Lua do Descanso e da Purificação

Lontras são brincalhonas e proféticas, criativas e lógicas. Têm altos ideais e tendem a querer mais dos outros do que é razoável. Procuram a verdade acima de qualquer coisa. Lontras são amistosas, intuitivas e têm alto grau de criatividade. Detestam normas e procuram viver de um modo aberto e liberal. São muito originais e têm um grande apreço pela limpeza e a ordem. Pessoas Lontra podem ser excêntricas e muito humanitárias. Às vezes são rebeldes e imprevisíveis. Não são muito carinhosas, e procuram viver uma profunda amizade antes da paixão transbordante. Sua maior virtude é a imaginação.

Dá-se bem com o Corvo, o Falcão e o Cervo
Deve cultivar: A criatividade, a tolerância e a coragem.
Deve evitar: A excentricidade e a rebeldia.
Planta: Alísio
Mineral: Turquesa
Cor: Prata
Direção: Norte
Medicina da Lontra: A capacidade de conectar com a criança interior, de ser inovador e idealista e desfrutar das tarefas da vida cotidiana.





LOBO
De 21/02 a 20/03 - A Lua dos Grandes Ventos

O lobo é gracioso, tem iniciativa, e ama a liberdade. Pessoas Lobo são geralmente muito confiáveis, generosas e com sentimentos profundos pelos seus amados. Seu objetivo máximo é encontrar a cultivar o amor em suas vidas. A qualidade do Lobo é a compaixão, e por causa disso é uma pessoa sensível, intuitiva e muito criativa. Sempre pronto a acudir quem precisa de ajuda, no fundo, o que o Lobo deseja é que respeitem seu espaço vital e sua liberdade de movimentos. É muito afetado pelos atos e palavras dos outros, e é com freqüência tímido. É porém sincero, reflexivo e digno de confiança. No amor é carinhoso, romântico e possessivo.

Combina com o Pica-Pau, o Urso Pardo e a Serpente
Deve cultivar: Intuição, criatividade e compreensão.
Planta: Tanchagem
Mineral: Jade
Cor: Azul Esverdeado
Direção: Nordeste
Medicina do Lobo: É a capacidade de atuar de acordo com a intuição e os instintos mais do que com o intelecto.





FALCÃO VERMELHO
De 21/03 a 20/04 - A Lua das Árvores em botão

O Falcão é um mensageiro dos insights. Adaptáveis e abertas, as pessoas Falcão gostam de liderar, e podem ser impulsivas de vez em quando. Querem estabelecer a individualidade ao mesmo tempo em que são aceitos pelo grupo. O Falcão é ativo, esforçado e impetuoso. Possui uma grande iniciativa, mas pode tomar decisões precipitadas, das quais logo se arrepende. Com muita vivacidade, o Falcão sabe ser extrovertido e audaz. Entusiasma-se com as novas experiências, mas tem dificuldade para perseverar nas tarefas. É pioneiro, aventureiro e afável. Sua missão na vida é guiar os outros. No amor, é rápido, fogoso, e muito apaixonado. Acende-se com facilidade e quer conseguir o que deseja a todo o custo.

Dá-se bem com Salmão e Coruja
Deve cultivar: Paciência, persistência, compaixão.
Deve evitar: Vaidade, orgulho e intolerância.
Planta: Dente-de-leão
Mineral: Opala
Cor: Verde amarelado
Direção: Nordeste
Medicina do Falcão: O poder da observação penetrante e da capacidade de agir com decisão e energia.





CASTOR
De 21/04 a 20/05 - A Lua do Retorno dos Sapos

Prático, estável e muito perseverante, o Castor é um ser carinhoso. Possui uma natureza empreendedora e um instinto possessivo muito poderoso. Alcança a segurança através das posses materiais, e pode ser muito auto-indulgente e inflexível. Como é muito trabalhador e persistente, o Castor pode alcançar o que deseja nesta vida. Precisa de paz e harmonia para evitar o mau humor. Seu sentido de estética é muito positivo. No amor, é possessivo, mas muito carinhoso. Sua missão na vida é descobrir que a matéria não é a o que mais importa na vida.

Dá-se bem com o Pica-pau, o Urso Pardo e o Ganso
Deve cultivar: Adaptabilidade e compaixão.
Deve evitar: Possessividade, inflexibilidade.
Planta: Trevo silvestre
Mineral: Jaspe sanguíneo
Cor: Amarelo
Direção: Leste
Medicina do Castor: A capacidade criativa para encontrar jeitos alternativos de pensar.





CERVO
De 21/05 a 20/06 - A Lua do Plantio do Milho

O Cervo é forte, elegante e orgulhoso, e pode ser agressivo se provocado. Pessoas Cervo são muito habilidosas e encontram a segurança através das posses materiais. O Cervo é amistoso e tem grande curiosidade intelectual. Mas pode ser também inconsistente, agitado e folgado. Sua natureza é vivaz e versátil. Gosta de falar e está sempre alerta a tudo que acontece ao seu redor. No amor, é mutável. Entusiasma-se com a mesma rapidez com que perde o interesse. Sua missão na vida é aprender a coordenar os diferentes elementos que o atraem. Gosta de mudar o velho pelo novo e detesta a rotina. Ama as mudanças e os desafios, por isto está sempre saltando de um relacionamento a outro, de um emprego a outro.

Dá-se bem com Corvo e Lontra
Deve cultivar: Concentração, persistência e simpatia.
Deve evitar: Mudanças de humor, inconsistência e superficialidade.
Planta: Verbasco
Mineral: Ágata
Cor: Laranja
Direção: Sudeste
Medicina do Cervo: Caracteriza-se pela sensibilidade para descobrir as intenções dos demais e aquilo que é nocivo para o próprio bem estar.





PICA-PAU
De 21/06 a 20/07 - A Lua do Sol Intenso

O Pica-pau é emotivo, sensível e carinhoso. Muito familiar, sabe sacrificar-se por seus seres queridos. Sua missão na vida é aprender a usar sua força emocional no plano material. No amor é muito maternal e romântico. Sabe ser passivo e vulnerável, mas também protetor. Sua imaginação e sua simpatia são muito grandes. Combina bem com Serpente, Lobo e Castor

Deve cultivar: O perdão e a intuição.
Deve evitar: Auto-compaixão e possessividade.
Planta: Rosa silvestre
Mineral: Quartzo rosa
Cor: Rosa
Direção: Sul-Sudeste
Medicina do Pica-pau: A aptidão para estabelecer um ritmo regular na vida e a tenacidade para proteger quem se ama.





SALMÃO
De 21/07 a 20/08 - A Lua dos Frutos Maduros

O Salmão esforça-se para voltar para casa após uma longa jornada. Pessoas Salmão amam o lar e são generosas e sensíveis. São também muito imaginativas e às vezes têm humor oscilante. Seu objetivo na vida é viver em harmonia com o ambiente. O Salmão veio a este mundo para brilhar e se sobressair. É entusiasmado e seguro, e toma a liderança em qualquer situação. Sabe ser energético e intransigente, assim como generoso e criativo. Às vezes pode parecer arrogante e sem dúvida sente-se ferido quando as pessoas não prestam atenção ao que ele quer. Sua missão na vida é encontrar propósito e estabilidade emocional. No amor, é insaciável e passional, mas também generoso e enamorado.

Dá-se bem com Coruja e Falcão
Deve cultivar: Tolerância e estabilidade emocional
Deve evitar: Arrogância, egoísmo e intolerância
Planta: Amora silvestre
Mineral: Cornalina
Cor: Roxo
Direção: Sul
Medicina do Salmão: Força e valor para atingir os objetivos, assim como constância para terminar as tarefas.





URSO PARDO
De 21/08 a 20/09 - A Lua da Colheita

O Urso Pardo é perseverante, muito independente e prático. Sabe ser considerado e deseja ser perfeito. Por este motivo, tende a criticar muito a si mesmo e aos demais. Este pode ser seu pior defeito. Mas também é capaz de trabalhar duro e conseguir tudo o que deseja no plano material. Não gosta de mudanças e prefere o certo ao duvidoso. É bondoso e leal e sabe solucionar pequenos problemas da vida cotidiana. No amor é moralista e um tanto reprimido. Analisa demais as relações e por isso perde um pouco da naturalidade. Combina bem com Ganso e Lontra

Deve cultivar: Otimismo e tolerância
Deve evitar: Ceticismo e crítica excessiva
Planta: Violeta
Mineral: Topázio
Cor: Marrom e Violeta
Direção: Sudoeste
Medicina do Urso Pardo: A capacidade de resposta, eficiência no trabalho, segurança em tempos de necessidade, e o poder para recobrar a força interior.





CORVO
De 21/09 a 20/10 - A Lua do Vôo dos Patos

O Corvo é inteligente, esperto e místico. Pessoas Corvo amam a paz, são idealistas e charmosas. Eles esperam a harmonia na comunidade e devem ficar longe de incertezas e inconsistências. O Corvo odeia a solidão e necessita estar rodeado de gente. Ainda que seja agradável e bondoso, vive muito influenciado pelo ambiente que o rodeia. Se é negativo, pode ficar mau-humorado. Também sabe ser idealista e diplomático e gosta que prevaleça a justiça acima de tudo. Veio ao mundo para harmonizar os contrários. No amor, é forte e sensível, mas por demais influenciado pelos desejos e sentimentos de seu parceiro.

Dá-se bem com Cervo e Lontra
Deve cultivar: Constância, imparcialidade e inspiração
Deve evitar: Indecisão, incerteza e inconsistência
Planta: Hera
Mineral: Azurita
Cor: Azul
Direção: Sudoeste
Medicina do Corvo: Aptidão para transformar situações negativas ou estéreis em positivas, e a capacidade de superar as limitações.





SERPENTE
De 21/10 a 20/11 - A Lua do tempo frio

A Serpente é misteriosa e intuitiva, o símbolo da transformação. Pessoas Serpente desejam satisfação e florescem com elogios. Elas precisam de grande disciplina e força de vontade para controlar sua natureza difícil. A Serpente é misteriosa e reservada. Sabe ocultar seus sentimentos debaixo de uma atitude fria. É adaptável, decidida e imaginativa. Extraordinariamente sensível, a Serpente pode sofrer em silêncio e espera o momento propício para devolver os golpes com sua mordedura fatal. No plano positivo, é ativa e imaginativa, e muito carinhosa quando se sente querida de verdade. No amor, é intensa, com muitos sentimentos ocultos e às vezes algo retorcidos. Sexualmente interessada por experiências limite, nunca é indiferente ao seu parceiro.

Dá-se bem com Lobo e Pica-Pau
Deve cultivar: Determinação, adaptabilidade e criatividade
Deve evitar: Egoísmo, arrogância e ciúmes
Planta: Espinheira santa
Mineral: Ametista
Cor: Violeta
Direção: Oeste
Medicina da Serpente: O talento para adaptar-se às mudanças e atravessar com êxito as fases de transição.





CORUJA
De 21/11 a 20/12 - A lua da neve

Corujas são muito observadoras e silenciosas. Pessoas coruja são inteligentes, bem articuladas e discretas. Seu olho para os detalhes faz delas perfeccionistas. A Coruja necessita de liberdade de expressão. É vivaz e presta muita atenção aos detalhes. Curiosa e adaptável, tende a abarcar mais do que pode. É valente e decidida, e sabe ser versátil. Sua natureza é sincera e estudiosa, e pode ser muito compreensiva, ainda que às vezes lhe falte tato. No amor, adora a aventura e é atraído por pessoas exóticas. Precisa variedade e intensidade de sentimentos, mas, acima de tudo, alguém com quem possa conversar e compartilhar seus múltiplos interesses intelectuais.

Dá-se bem com Falcão e Salmão
Deve cultivar: Concentração, otimismo e entusiasmo vital
Deve evitar: Auto-indulgência e exagero
Planta: Visco
Mineral: Obsidiana
Cor: Dourado
Direção: Noroeste
Medicina da Coruja: É o poder de discernir as coisas em momentos de incerteza e levar uma vida coerente, com planos a longo prazo.



Pax

domingo, 22 de abril de 2012

Gratidão



Gratidão, por esse lindo encontro! A vocês dedico esse poema;




Poema Se

Hermógenes

Se, ao final desta existência,
Alguma ansiedade me restar
E conseguir me perturbar;
Se eu me debater aflito
No conflito, na discórdia...

Se ainda ocultar verdades
Para ocultar-me,
Para ofuscar-me com fantasias por mim criadas...

Se restar abatimento e revolta
Pelo que não consegui
Possuir, fazer, dizer e mesmo ser...

Se eu retiver um pouco mais
Do pouco que é necessário
E persistir indiferente ao grande pranto do mundo...
Se algum ressentimento,

Algum ferimento
Impedir-me do imenso alívio
Que é o irrestritamente perdoar,

E, mais ainda,
Se ainda não souber sinceramente orar
Por quem me agrediu e injustiçou...

Se continuar a mediocremente
Denunciar o cisco no olho do outro
Sem conseguir vencer a treva e a trave
Em meu próprio...

Se seguir protestando
Reclamando, contestando,
Exigindo que o mundo mude
Sem qualquer esforço para mudar eu...

Se, indigente da incondicional alegria interior,
Em queixas, ais e lamúrias,
Persistir e buscar consolo, conforto, simpatia
Para a minha ainda imperiosa angústia...

Se, ainda incapaz
para a beatitude das almas santas,
precisar dos prazeres medíocres que o mundo vende...

Se insistir ainda que o mundo silencie
Para que possa embeber-me de silêncio,
Sem saber realizá-lo em mim...

Se minha fortaleza e segurança
São ainda construídas com os materiais
Grosseiros e frágeis
Que o mundo empresta,
E eu neles ainda acredito...

Se, imprudente e cegamente,
Continuar desejando
Adquirir,
Multiplicar,
E reter
Valores, coisas, pessoas, posições, ideologias,
Na ânsia de ser feliz...

Se, ainda presa do grande embuste,
Insistir e persistir iludido
Com a importância que me dou...

Se, ao fim de meus dias,
Continuar
Sem escutar, sem entender, sem atender,
Sem realizar o Cristo, que,
Dentro de mim,
Eu Sou,
Terei me perdido na multidão abortada
Dos perdulários dos divinos talentos, Os talentos que a Vida
A todos confia,
E serei um fraco a mais,
Um traidor da própria vida,
Da Vida que investe em mim,
Que de mim espera
E que se vê frustrada
Diante de meu fim.

Se tudo isto acontecer
Terei parasitado a Vida
E inutilmente ocupado
O tempo
E o espaço
De Deus.
Terei meramente sido vencido
Pelo fim,
Sem ter atingido a Meta.






















quarta-feira, 18 de abril de 2012

Meus Anjos







Lindas meninas, o que poderia dizer a cada uma de vocês...isso é tão difícil! Vocês me surpreende a cada novo encontro. Fiquei emocionada com há explicação dos chakras; "que cada um é um lago e um rio liga os lagos..."


Desejo na minha humilde condição de professora, ou melhor orientadora...o caminho de luz, sem dúvidas, nem medos e que cada choro possa ser de emoção!


Que possa carregar dentro de você a pureza desse lindo Ser,  que é pacífico, amoroso e LIVRE.


Que você possa respeitar sempre a sua família, mas lembrar que dentro de você mora o lindo amigo silêncio, que te escuta e conversa com você sempre que está em meditação. Deixo a sementinha desta conexão, para que não se perca jamais!


Mas se por algum acaso isso acontecer,  lembre-se que estarei aqui para te ajudar!


Amo vocês.
Lu Perez





Mensagem




Amados Filhos,
Que as bênçãos do amor tragam paz aos vossos corpos, mentes e corações.
Momento de reflexão, momento de olhardes para o vosso passado para corrigirdes as ações que deram origem as limitações em vossas vidas.
Ações egoístas, preconceituosas, ações onde a raiva e o ódio se fizeram presentes, ações que trouxeram mágoas, desilusões, ações que geraram humilhações e alimentaram incertezas em vossas vidas.
Este é o tempo de compreender tudo que foi gerado na ausência do amor.
Passo a passo, dia após dia, precisais sai do atoleiro em que mergulhastes, ao longo de vossas vidas, pelo esquecimento de que sois filho do Criador e carregais em vossa bagagem genética a luz da perfeição que faz florescer a completude.
É hora de manifestar a perfeição, é hora de assumirdes a responsabilidade por todos os vossos atos, é hora de purificação.
Mergulhai, pois na reflexão diária, para reconhecerdes pensamentos, sentimentos e ações que se fizeram presentes em vossas vidas despidos da frequência cristalina do amor, o amor que revela a pureza, que vos preenche de compreensão, que permite a vós contemplar a perfeição da Criação e reconhecer essa Criação em vós.
Sois parte da Criação, sois parte dessa experiência que vos colocou no mundo da ilusão, para que expressastes o sentimento maior que gera a vida, o amor incondicional, o amor que revela a troca justa, que alimenta a certeza, que sustenta vossos corpos para que vossas almas possam reger vossos passos no mundo da ilusão.
É tempo de olhar para dentro de vós para reconhecerdes o quanto do amor, que trazeis na bagagem, tem sido revelado em vosso mundo, quanto colocais de amor em vossos atos, quanto da generosidade, que jaz em vossos corações, se manifesta na ajuda ao próximo, na preservação da natureza, na comunhão com o sagrado que existe em tudo que comporta vida.
É hora de compreender que podeis sim superar todos os obstáculos, que existe uma razão para tudo que ocorre em vós e ao vosso redor, e que o julgamento só vos faz limitar e vos distanciar do Pai que vos criou, que vos deu a vida e vos dotou do poder de escolha.
O Pai vos dotou do livre arbítrio, para que pudesses vencer vossos impulsos egoístas e, assim crescer, crescer em verdade para trilhar o caminho dos justos de coração que compreenderam a glória de ser misericordioso, de cultivar a humildade para sempre reconhecer que tudo vem do Criador, e que é fundamental exercitar a igualdade, que nunca despreza outro ser, pois sabe que todos são unos e fazem parte da mesma essência divina.
 Bem amados, lembrai-vos, sempre, que o amor é o atributo básico e fundamental que vos abre as portas para o retorno ao Pai.
Não há correção do passado se não existir amor em vossos corações.
É ele que vai vos impulsionar a exercitar a compreensão e o perdão, e na compreensão e no perdão construireis a base sólida de vossa ascensão, degrau a degrau, na escalada final onde vos espera, de braços abertos, a Mãe e o Pai, plenos de alegria pelo retorno do Filho que finalmente reencontrou o caminho da luz.
Bem amados, é hora de ouvirdes vossos corações e resgatardes a vossa herança, para que possais finalmente experenciar a felicidade que tanto buscais.
Que vossas orações sejam o alimento para reforçar vossa fé e determinação em continuardes buscando sempre, a correção de vossa rota, com humildade e esperança, na verdade e na justiça que leva a ascensão.
Bem amados, Eu vos deixo agora derramando sobre todos vós as minhas bênçãos e envolvendo a todos no meu manto de proteção, porque Eu Sou Maria, Vossa Mãe.

Por Jane Ribeiro

domingo, 8 de abril de 2012

Feliz Ressureição






Que neste momento tão especial em que celebramos a ressurreição, possamos nos reconectar com a energia dourado brilhante...a energia Crística sentido-se acolhido no amor vivo de Cristo.
Aproveite o dia de hoje, para que possamos entrar em harmonia dentro e reverberar essa mesma harmonia fora. Que livremo-nos dos nossos próprios julgamentos, das nossas próprias críticas,  para que sejamos livres dentro do nosso templo. 
E lembremos que Cristo é amoroso e espera pelo despertar de cada filho, sem cobrança, sem impor nada.
Como diz o evangelho de Maria Madalena; “não há pecado, somos nós que fazemos existir o pecado...” (pagina 7, 14-19).  O evangelho de Maria Madalena nos ensina também a buscar a harmonia interior e sem absolutismos. (texto do Frei Jacir de Freitas Faria, OFM )
Nascemos em estado de graça, e entramos muitas vezes no caminhar de nossos próprios julgamentos e nos mesmos definimos como pecado... E o que é pecado? 
Pecado gera culpa e culpa escraviza, forçando você ser escravo de algum dogma, algum ensinamento religioso ou algum messias.
Desejo que nesse novo processo você possa ser independente, que acorde deste sono profundo e encontre o despertar para a renovação interna. E que por onde o seu Ser caminhar possa sentir a luz te guiar, o sol aquecer e atente quando o vento soprar.Vamos seguir sem culpa, ser corajosos, aventureiros e exploradores do universo, nem sempre a maré estará calma, mas não vamos deixar de viver por isso. 
Como diz Osho: “Nunca espere alguma coisa – assim, não existe surpresa: tudo é surpresa. E não existe desapontamento: tudo é “apontamento”. Se acontece, bom; se não acontece, melhor ainda! Tente perceber... É bom cair algumas vezes, machucar-se, levantar-se novamente – perder-se algumas vezes. Não há problema. No momento em que você perceber que se perdeu, volte. A vida precisa ser aprendida por tentativa e erro.
Feliz Páscoa
Namastê
Luciana Perez

sexta-feira, 6 de abril de 2012

EU ESCOLHO O AMOR E VOCÊ?






Podemos ficar reclamando ou escolher viver melhor!

Podemos chorar a noite inteira ou chorar de rir!

Podemos mudar o caminho ou se lamentar a vida inteira!

Podemos viver no agora ou morar no passado!

Podemos amar o próximo ou desrespeitar a si mesmo!

Podemos ser feliz no hoje ou esperar o amanhã!

Podemos compartilhar as coisas ou viver no egoísmo!

Podemos sorrir, viver, cantar, amar e compartilhar...eu prefiro tudo isso e você?

 Luciana Perez

terça-feira, 3 de abril de 2012

Meditação da semana santa









Neste período de semana santa é um momento importante para reflexão interna e desenvolvimento pessoal.



Do ponto de vista da sabedoria antiga, a Semana como unidade de tempo tem relação com a tradição religiosa no Gênesis e nela temos a descrição da criação do mundo em sete dias.

Os dias da semana recebem seus nomes dos sete planetas, arquétipos, princípios que ordenam a vida no universo, sendo que das esferas dos Sete Planetas emanam forças espirituais que impulsionam o desenvolvimento humano. 

Os antigos sábios descreve o universo através de imagens, numa linguagem analógica que, por ser poética, toca mais profundamente a nossa alma.

A Semana Santa começa no Domingo de Ramos e vai até o Sábado de Aleluia, sendo que o Domingo da Ressurreição, denominado de Domingo de Páscoa (do hebraico Pessach-passagem) é o primeiro dia da passagem para o Novo Sol que será a Terra vivificada pelo Eu do Cristo. 



DOMINGO DE RAMOS – Dia do Antigo Sol
No primeiro dia da Semana Santa, Jesus Cristo entra na cidade de Jerusalém, montado em um burrinho branco. Com brados de “Hosana”, o povo o saúda com ramos de palmeiras.
A força luminosa que emana do Cristo reascende no povo a antiga clarividência, vivenciada nos rituais das festividades em homenagem ao sol. A palmeira sempre fora considerada o símbolo do sol natural.
O Cristo atravessa em silêncio a vibração popular sem se contagiar. Interiormente sabe que aquele entusiasmo, logo passará. Não tem consistência interna. É o entusiasmo natural que logo se transfere para outra novidade, para outro acontecimento externo. Cristo sabe o que ele próprio representa e a que veio. Ele quer penetrar na camada mais consciente da alma humana. O seu brilho é o brilho próprio que emana da essência de seu ser espiritual.
O seu estado de alma é autoconsciente e acolhedor. Permanecerá. Entrar em Jerusalém, montado no burrinho tinha para o Cristo o sentido de deixar claro a transição: da antiga exaltação visionária, semi-consciente, desencadeada por elementos externos, para a atitude equilibrada, fruto da presença de espírito, do Sol interior na alma individualizada.

Notas da Tia Lu: Podemos pegar um ramo de palmeira e deixar secar, depois queime essa folha para simbolizar a transformação do Ser.

SEGUNDA-FEIRA SANTA – DIA DA LUA
Qualidades: manter, revitalizar, refletir

 ACONTECIMENTO - Betfagé era uma aldeia cercada pôr figueiras consideradas sagradas por seus moradores. Fora de lá que Cristo, no Domingo de Ramos, mandara Pedro e João trazer um burrinho, também considerado um animal sagrado. Ali, cultivava-se uma antiga forma de clarividência, ou seja, praticava-se “o sentar-se sob a figueira”, uma série de exercícios físicos e meditativos através dos quais se atingia um estado onírico de religação com o mundo espiritual.
Na manhã de Segunda-feira, ao retornar de Betânia à Jerusalém, com seus discípulos, Cristo aproxima-se da figueira e pronuncia a sentença: “Para todo o sempre, ninguém mais comerá destes figos”. Isso significaria que, no dia seguinte, a árvore estaria seca.
Com a condenação da figueira, Cristo cessa o antigo dom lunar da consciência visionária, a antiga forma de clarividência na qual predominavam os processos vitais.    
Cristo veio para que o ser humano trilhasse o caminho da autoconsciência que o conduzirá à liberdade.
“A capacidade da autoconsciência teria que ser conquistada e isso exigia em troca a antiga clarividência”. Retornará o tempo no futuro, em que todos os homens serão clarividentes por terem cultivado o “eu sou”, ou seja, a “autoconsciência”.
Chegando mais tarde ao Templo que fervilhava de atividades comerciais, Cristo expulsa os vendedores. Devolve ao Templo sua condição de lugar sagrado e aos peregrinos, que chegavam de todos os lados para as cerimônias de Páscoa, devolve a consciência de que aquela era a casa de Deus. 

Notas da Tia Lu: Sente em uma postura confortável e medite sobre a nossa verdade interna, assim como fizemos durante as aulas. Traz atenção ao seu templo interior que é a morada de Deus.

TERÇA-FEIRA SANTA – DIA DE MARTE
Qualidades de luta, de autenticidade e coragem

 ACONTECIMENTO - O Cristo volta a Jerusalém trazendo as oferendas para o ritual que antecede a festa pascal. No Templo, enquanto o povo o ouvia, seus adversários o abordam com questões que são verdadeiras  armadilhas, para fazê-lo cair em contradição.
Cristo responde a cada uma das questões com parábolas que caem como verdadeiros golpes de espada sobre os sacerdotes e escribas, que nelas se reconhecem como protagonistas.
A cada parábola, Cristo reafirma a natureza espiritual do seu Eu, assumindo seu lugar próprio e colocando os adversários no devido lugar.  Sua força se intensifica.
Sem temor, pergunta por pergunta, a identidade espiritual do Cristo vai se revelando.
Ele mostra aos oponentes quem realmente é, e a que veio. É uma luta intensa, travada em palavras e em intenções. De um lado, a intenção dos inquisidores que por desconfiarem dele, queriam desmascará-lo. Do lado de Cristo, a intenção poderosa do seu Eu manifestando-se em toda a sua inteireza  e culminando com as palavras: “Dai a César o que é de César e a Deus o que é de Deus.”
No final do dia, reunido com os apóstolos no Monte das Oliveiras, Cristo lhes transmite as metas que prepararão a humanidade para a sua volta, no futuro. Neste dia Cristo mostra que a maior das lutas é a batalha travada no interior, entre o medo e a vontade de colocar o nosso Eu no mundo. Nesta luta interna, nos apropriamos dos dons de Marte: a autenticidade e a coragem de enfrentar as adversidades.

Notas da Tia Lu: Meus Amados olha que lindo ensinamento " Neste dia Cristo mostra que a maior das lutas é a batalha travada no interior, entre o medo e a vontade de colocar o nosso Eu no mundo. "  A luz desta semana é a luz do primeiro raio, luz azul, fechem os olhos e deixa essa luz entrar no topo da sua cabeça e faça com que ela passe por todo o seu corpo...fisico, mental, emocional e espiritual trazendo a coragem de viver melhor todos os dias.


QUARTA-FEIRA SANTA – DIA DE MERCÚRIO
Qualidades: Fluidez, devoção e cura

 ACONTECIMENTO - Ao entardecer daquele dia em Betânia, Jesus se reuniu com seu círculo mais íntimo à mesa de refeição, na casa de Simão.
Aproxima-se do Cristo, Maria Madalena e ungindo seus pés com um óleo precioso os enxuga com seus próprios cabelos. O gesto de Madalena provoca uma reação de crítica nos presentes e desencadeia a revolta que se acumulava na alma inquieta de Judas. Argumentado, Judas conta o desperdício em detrimento dos pobres e sai para se encontrar com os sacerdotes e concretizar a traição que o levará ao suicídio.
É a segunda vez que Madalena unge os pés do Cristo. Na primeira unção, Ele dissera aos presentes: “Calem-se. Ela muito amou e muito lhe será perdoado.”  A postura do Cristo é de receptividade. Em relação a Judas, Cristo compreende que este não possui em sua alma forças de coesão para ordenar suas impressões e esta agitação flui para o mundo como uma revolta. Maria Madalena, entretanto, interiorizara as forças de amor que antes a arrastavam para o mundano. Essas forças fluem para o mundo como devoção. Ambos são tipos mercuriais, sempre em contínua atividade externa, sempre mobilizando tudo ao seu redor. Marta, a irmã de Maria Madalena, é a terceira pessoa com qualidades mercuriais, também presente à ceia. Está sempre fazendo algo pelos outros, sempre na lida da casa. “Marta, Marta, andas muito inquieta e te preocupas com muitas coisas. Maria escolheu a boa parte, que não lhe será tirada.” Lucas 10.41 Na Quarta Feira Santa, Cristo acolhe as forças mercuriais transformadas em paz interior e devoção e assim metamorfoseadas em capacidade de cura. 

Notas da Tia Lu; Fechem os olhos e estejam receptivos a receber e aceitar o amor, procure senti-lo pulsando e vibrando dentro do seu Ser...trabalhe com essa força superando qualquer tipo de mágoa, sem tentar mudar os fatos. 

Quinta-feira Santa:
-Dia de Júpiter – Sabedoria, Grandeza.

 ACONTECIMENTO - O Lava Pés e a Santa Ceia.
Antes da ceia, Cristo realiza o ato de amor humilde, singelo e cheio de sabedoria, que para sempre tocará o coração dos cristãos: o Lava Pés. Síntese de todos seus ensinamentos: ‘amai-vos uns aos outros’. Na ceia, quando oferece o pão e o vinho como novo ato sacramental, Cristo cessa a reminiscência do sacrifício do sangue fresco do animal puro, que era um ato externo que ligava a alma humana com o mundo espiritual de forma inconsciente, em êxtase. Quando Se coloca como o novo cordeiro na forma da comunhão com o pão e do vinho, Ele traz a interiorização do Eu na alma humana, até o nível do sacrifício da entrega, da aceitação do destino.

Notas da Tia Lu; É um momento de posicionar-se, sair de cima do mura, sair da dúvida...Exercitar a confinça em ti mesmo e assumir a divina essência do EU Sou. Mentalizar no dia de hoje "EU SOU" a Vida que flui através de toda manifestação".

 Sexta-feira Santa:
Dia de Vênus – Paixão, Amor Universal.

ACONTECIMENTO: O beijo de Judas e a negação de Pedro. A Crucificação.
Na madrugada de quinta para sexta, Cristo ao ser identificado pelo beijo de Judas, é arrastado e preso. Pedro ao ser perguntado se era um deles, nega. Acordando-se para si só ao terceiro cantar do galo. Judas ao perceber o que estava acontecendo, enforca-se numa figueira. Às 15h, depois de Cristo ser ironizado, flagelado, coroado com espinhos, carrega sua cruz sobre as costas e é crucificado na colina de Gólgota. ‘No Cristo torna-se vida, a morte.’ Jerusalém escurece repentinamente na hora da morte, depois de Seu sangue escorrer e penetrar a terra. O terremoto no fim da tarde após  a colocação do corpo no túmulo.

Notas da Tia Lu; Momento de entrega, nem sempre temos condição de mudar alguma situação...Entrego e confio!

Sábado de Aleluia:
-Dia de Saturno – Profundidade, Consciência, Tempo.

ACONTECIMENTO: A Terra recebe o corpo e o sangue do Cristo.
No local entre o Gólgota e o Sepulcro, existia outrora uma fenda primária na superfície terrestre. Os terremotos da sexta-feira reabrem esta fenda e a terra inteira se torna então o túmulo do Cristo. O espírito do Cristo penetra na Terra criando nela um novo centro luminoso. Estamos diante do ponto de partida de um Novo Sol em formação.

NOtas da Tia Lu; Momento de esperança e de meditação. Momento de refletir sobre a vida de Cristo, sobre cada dia desta semana até esse momento. E que com isso todos possamos reforçar a energia Cristica. A partir da semana da Paixão podemos reconhecer nos três anos de vida do Cristo toda uma grande Paixão. A Entrada em Jerusalém é uma oitava do Batismo no Jordão. A Idéia da Páscoa precisa passar da condição de morte para a condição da verdadeira vida, que deve germinar dentro de cada um de nós. 



DOMINGO DE PÁSCOA – DIA DO SOL

Ente nascido do cosmos
Oh, vulto luminoso!
Fortalecido pelo Sol no poder da Lua.
Tu és doado pelo ressoar criador de Marte
E a vibração de Mercúrio que move os membros.
Ilumina-te a sabedoria radiante de Júpiter
E a beleza de Vênus, portadora do amor.
E a interioridade espiritual de Saturno antiga dos mundos
Consagre-te à existência espacial
E ao desenvolvimento temporal.                                        
                                                          
                                                       Rudolf Steiner



Exercício de reflexão elaborado pela psicóloga Marisa Clausen Vieira pesquisando as seguintes fontes:

O Evangelho de João – Rudolf  Steiner – Editora Antroposófica
Os acontecimentos da Semana Santa – Emil Bock – Editora Nova Jornal)