..

"A alma que não se abate, que recebe indiferentemente tanto a tristeza como a alegria, vive na vida imortal."Fonte - Bhagavad-Gita

sexta-feira, 29 de abril de 2011

Aulas especiais para todas as turmas de Yoga. Veja qual é sua turma e programe- se!

Turma da Eco-fit
Horário: 19h30 ás 20h30
Dia: 29/4/2011

Turma Body Tech (formula Eldorado)
Horário: 19h30 ás 20h30
Dia : 28/04/2011

Turma de Personal
Horário: 7h00 ás 8h00
Dia: 29/04/2011

Aula especial: Yoga Hormonal

A pratica de Yoga terapia age de modo especial sobre os órgãos e glândulas afetados pela disfunção; ovários, tireóide, paratireóide, supra renais e hipófise.

Esse método foi desenvolvido pela professora Dinah Rodrigues, autora do livro “Yoga Terapia Hormonal para Menopausa”

Está prática vem sendo aplicada a mulheres e homens que tem qualquer tipo de disfunção, (menopausa, infertilidade, irregularidade menstruais, cistos de ovários, distúrbios na tireóide, supra-renais).

A finalidade do Yoga hormonal é harmonizar a produção natural de hormônios, no climatério atua sobre ondas de calor, angustia, depressão, enfraquecimento da memória, insônia, enfraquecimento dos cabelos, ressecamento da pele, mucosa vaginal, falta de tônus muscular, fadiga, colesterol alto, problema no metabolismo ósseo (osteoporose), problemas cardiovascular, ovários policísticos, cólicas, tensão pré-menstrual, dificuldade para engravidar e menopausa precoce.


Dicas para quem for praticar a aula de yoga hormonal; evite no dia da prática ou no dia anterior comer carne vermelha e bebida alcoólica.

Turma de Yoga Body Tech ( formula da consolação)
Horário: 9h00 ás 10h00
Dia: 29/4/2011

Aula especial do muladhara chakra

A primeira preocupação do ser humano é com a sua segurança. Todas as nossas ações básicas têm como objetivo nos trazer a preservação da vida. O primeiro chakra, muladhara, é dito ser responsável pelo instinto de sobrevivência, pelo apego às coisas materiais e pelo medo. Ou seja, podemos entender o primeiro chakra e os 'bloqueios' relacionados a ele como esse nosso anseio natural por segurança. Dentro do caminho em busca da liberdade é necessário trabalhar as emoções e sentimentos relacionados e esse primeiro chakra.

É dito que as tendências do muladhara chakra em desequilíbrio seriam a inércia, posse, medo, apego, rigidez, cobiça, avidez, bloqueio na comunicação, tendência de ser manipulado, credulidade, dificuldade em dar e receber, possessividade. Algumas destas tendências são citadas por Patanjali como obstáculos para permanecermos na nossa verdadeira natureza. Da mesma forma, se observarmos as qualidades ditas sobre esse mesmo chakra quando ele esta equilibrado: sobrevivência, solidez, autoconfiança, boa comunicação, relação sadia com a matéria, capacidade de transcender limites, discernimento.

Reflexão: Estou em harmonia com as atividades do cotidiano, pois a minha existência está perfeitamente enraizada nele. Encontro segurança e estabilidade vivendo em plena conexão com as tarefas do meu dia-a-dia.

Dicas para a Pratica: Se possível trazer um kilo de alimento não perecível para ajudar instituição “Amigos do Bem”. Evitar carne vermelha no dia anterior e bebida alcoólica. Vestir algo na cor vermelha, cor que está ligado ao chakra

Te Quero Sorrindo

Olá meus amores, espero que estejam felizes e bem. 


Fiquei meditando sobre o acontecimento da semana passado e sobre tudo que vem acontecendo no nosso planeta terra. Estamos passando por um momento de transformação, isso todos nós sabemos e o que não podemos esquecer é de agirmos com atitudes do bem, vibrando mais amor em nosso próprio caminho e ao nosso planeta terra, que possamos amenizar assim dores antigas, corações feridos. 
Abrindo o computador antes de escrever, sempre faço minhas afirmações e pensamentos para que eu possa escrever a coisa certa com as palavras exatas, ao fazer isso acessei um link e abriu em uma musica que na sua frase dizia... “O mundo pode até fazer você chorar, mas Deus te quer sorrindo...” 

Precisamos dar mais as mãos, doar mais o coração se religar, pararmos de agir como egóicos, vivendo em profunda competição. Na vida não tem eu ganho e você perde, pois se você perder estarei perdendo também, somos filhos do mesmo Pai.

Vamos caminhar dignamente, mas juntos porque a única coisa que temos é o amor Divino. Estamos em transformação constante em aprendizado nesta grande escola que é a vida, assim... seja humilde, seja verdadeiro.

Cada passo que damos a caminho do bem o universo se comove, então, pare de julgar, criticar e retalhar, essa arma invisível que as vezes lançamos é a mesma arma desta semana.

Lembre-se não existe bom nem mal! Saia da roda do samskara que são condicionamentos criados por nós, já ouviram isso na aula não...então não descrimine, não julgue para não seres julgado. Vá em frente faça luz com sua própria luz, mostre tua compaixão, se doe, pois é só na caridade que há salvação, assim já se dizia.

Só existe um caminho! Qual o caminho que estás à seguir?

Saia deste mundinho particular e vem viver a vida, ou você vai continuar olhando para tv indignado com as noticias sem nada fazer, a paz e o amor começa dentro de você, vibre estes sentimentos, e tenha certeza que assim poderás reverberar para o universo inteiro a tua verdadeira luz.

Se trabalharmos dignamente, podemos levar luz a sombra, se trabalharmos no bem poderemos levar paz aos corações aflitos, se trabalharmos na verdade podemos subir mais um degrau nesta escada evolutiva que é a vida.

Hari Ôm
Luciana Perez

A minha infinita gratidão as pessoas que me inspiraram, Mônica Loureiro, Monja Coen, Maura Albanesi, Perseverança e os meus amigos que são invisíveis aos meus olhos. 

Samádhi

Esta semana estamos iniciando a nossa ligação com a verdadeira essência do Yoga que é o samádhi, estado de clareza, organização e tranquilidade dos pensamentos, da mente, a abstração em relação aos nomes e formas, a iluminação. Namarūpas, o que não significa que eles sejam experiências. Lembre-se sem criar expectativas em nossa prática de meditação, apego às experiências, reais ou imaginárias, gera frustração, pois as experiências são momentâneas e limitadas: estão condicionadas ao tempo, têm um início e um fim. 

Este vai ser o seu sádhana pessoal, vai te conduzir ao autoconhecimento e fecundar em seu coração a chama vertente do verdadeiro amor e sentir átman que não está dentro nem fora, está em todas as coisas e deve ser reconhecido. Conhecer Ātma é reconhecer todos os seres em si mesmo e a si mesmo em todos os seres. 

Não teve melhor época para fazermos isso do que neste mês, as energias estão mais acessíveis, ou seja, um grande momento para meditar, para tomarmos novos rumos se precisar. Assim, tudo se dilui para um novo recomeço, momento de trazer para terra luz, trazer para o corpo calor, para mente iluminação. 

Aproveite este momento para olhar com os olhos do coração, para que possamos enxergar nossa vida e romper com padrões pré- estabelecidos. 

Seja Feliz,
Seja espiritualizado!
Seja leve,
Seja alma, 
Seja corajoso, 
Seja verdadeiro, 
Seja auspicioso,
Seja Próspero! 

Hari Om, 
Luciana Perez 


Oração; 

Desde o ponto de Luz na Mente de Deus,
Que aflua luz às mentes dos homens.
Que a Luz desça à Terra. 

Desde o ponto de Amor no Coração de Deus,
Que aflua amor aos corações dos homens.
Que o Cristo retorne à Terra. 

Desde o centro onde a Vontade de Deus é conhecida,
Que o propósito guie as pequenas vontades dos homens -
O propósito que os Mestres conhecem e a que servem. 

Desde o centro a que chamamos raça dos homens,
Que se cumpra o Plano de Amor e Luz,
E que se sele a porta onde mora o mal. 

Que a Luz, o Amor e o Poder restabeleçam o Plano na Terra.

Ser Alegre

Pensando sobre o nosso mantra auspicio da semana que tem inserido toda felicidade e mentalização positiva em versos do Upanishad. 

Passei a me perguntar qual o tipo de felicidade que podemos ter? 

Comecei a pensar em todos os meus momentos felizes... sei que você também o está fazendo agora...tentei descobrir se era felicidade limitada, aquela que deriva das ações ou se era a felicidade ilimitada aquela que deriva do coração. 

Quando pensei nisso, comecei a separar todos os momentos de felicidade limitados para o ilimitado, pode acreditar um grande exercício a se fazer... não é que descobri que julguei muito da minha felicidade pelas minhas ações. Bom, isso foi pra mim a minha lição, que pode ser a sua também. 

Sânscrito; nanda é a alegria que nasce das nossas ações, que proporcionam prazer e segurança e ananda e a felicidade de nosso verdadeiro Ser, de toda nossa plenitude, essa felicidade que não começa e não tem fim ela é constante e viva e podemos desperta-la todos os dias de nossas vidas. Não só quando chega a sexta que podemos encontrar os amigos e se esconder atrás de um copo, também não é a felicidade do sábado quando estamos com a pessoa amada. 

Mas sim aquela felicidade da segunda-feira onde começa um novo dia, um novo amanhecer, um novo aprendizado e que se permanece assim sempre. Ufaaa... sei que isso parece meio complicado, mas podemos descomplicar para viver melhor, para crescermos, sairmos da ignorância e do sofrimento que a deriva, acredito que é por isso que estamos juntos, compartilhando. 

Precisamos quebrar o paradigma que para vivermos felizes, temos que sair comprando, consumindo, buscando a felicidade em uma viagem que sempre sonhamos em fazer... por isso continuamos muitas vezes igual um louco trabalhando, trabalhando e o tempo passando, passando, passando. 

Tudo o que vivemos a cada dia é a nossa felicidade, que não está nas prateleiras, no avião, muito menos em fugas de aventuras em busca de uma nova emoção. A sua emoção, a sua felicidade é agora. Não sonhe em buscar sua felicidade no amanhã, isso pode ser tarde demais. 

Assim sendo ananda não é uma experiência que vivemos, mas sim a felicidade plena da natureza do seu verdadeiro eu, do EU Sou, só assim a ignorância desaparece e podemos ir além do limitado, e continuar realizando nossas ações diárias recebendo as reações por cada ação como presente para evolução, e senão sair como gostaríamos... meus amores não fiquem lamentando, a nossa felicidade é maior que tudo isso e está no seu lugar mais sagrado. 

Uma linda musica para o nosso texto: “È melhor ser alegre que ser triste, a alegria é melhor coisa que existe é assim como a luz no coração...” 

Nossa oração: 
Om Sarvesham Svasti Bhavatu
Sarvesham Shantir Bhavatu
Sarvesham Purnam Bhavatu
Savesham Mangalam Bhavatu 

Que haja sucesso para todos 
Que haja paz para todos 
Que todos tenham plenitude ; e 
Que tudo seja auspicioso 

Sarve Bhavantu Sukhinah
Sarve Santu Niraamayaah
Sarve Bhadrani Pasyantu
Ma Kashid Dukha Bhag Bhavet 

Que todos sejam felizes; 
Que todos sejam saudáveis; 
Que todos só vejam o bem; e 
Que não haja nenhum sofrimento. (Upanishad) 

Desejo a todos uma semana repleta de felicidade e que possamos ser grato a cada momento que passamos juntos. 

Namastê, 
Luciana Perez

Tara Branca


"E aqueles que pensam em Me procurar, saibam que a vossa busca e vosso anseio devem beneficiar-vos apenas se vós souberdes o Mistério; se o que vós procurardes, vós não achardes dentro de vós mesmos, então nunca encontrarão fora. Pois eu tenho estado convosco desde o Início e Eu Sou Aquela que é alcançada ao final do desejo"

Se conta, que Avalokiteshavara, o Buda da Compaixão, que em profundo pesar ante os sofrimentos do samsara, lhe caíram lágrimas dos olhos, lágrimas essas que formaram um lago. Do fundo do lago emergiu uma flor de lótus. Quando o botão se abriu, uma maravilhosa divindade feminina saiu de dentro dela. Era Tara, que em sânscrito, significa "estrela". A nobre Deusa Tara é descrita como "da cor da lua, calma, sorridente, sinuosa, irradiando luz de cinco cores.
Nesse seu aspecto branco, Tara senta-se na pose de Buda, a mão direita formando o "mudra" da caridade ou concedendo presentes, e a mão esquerda erguida, segurando o caule de uma flor de lótus (seu emblema distintivo), que floresce sobre seu ombro. Ela possui sete olhos de sabedoria, um no centro da testa, um na palma da mão e um na sola de cada pé.
Tara Branca é chamada, a Mãe de todos os Budas e representa o aspecto maternal da compaixão. Sua cor branca significa pureza, sabedoria e verdade.

A Tara Branca aumenta as expectativas de vida. Está relacionada à longevidade e a tudo que esse processo implica. É dessa forma, toda branca, que ela nos conduz aos estados de auto-conhecimento e iluminação profunda.
Existem 21 Taras, de cores e significados específicos, mas as mais conhecidas e veneradas são a Tara Branca, a Tara Verde e a Tara Vermelha.

Seu mantra é: OM TARE TUTARE TURE SOHA.
OM - São as qualidades do corpo, palavra e mente dos Buddhas. É a meta, o som do universo.
TARE - Significa “aquela que liberta”.
TUTTARE – “Que elimina todos os medos”. Os oitos medos causados pelas oito ilusões: l. Apego (enchente). 2. Ira (fogo). 3. Ignorância (elefante). 4. Inveja (serpente). 5. Orgulho (leão). 6. Avareza (correntes da prisão). 7. Visões erradas (ladrões). 8. Dúvida (fantasmas).
TURE – “Que concede todo sucesso”.
SOHA – “Que as bênçãos de Tara contidas no mantra se concretizem”.



Prece diária:
"A natureza fundamental de minha mente é pura.
Dentro de mim existe uma fonte inexaurível de amor, sabedoria e poder.
O propósito de minha prática espiritual é revelar e fazer contato com esta fonte.
Quando a minha ignorância é removida, surgem a compaixão, sabedoria e poder ilimitados.
É o meu condicionamento mental que limita a compreensão de quem eu sou e daquilo que posso me tornar.
Vou limpar a minha mente de falhas e desenvolver qualidades benéficas.
Assim, removo os obstáculos do meu caminho e crio condições benéficas.
Reconhecendo a interconexão de tudo,
Eu me esforçarei para ser o meu melhor
e manifestar o meu potencial de iluminação.
Sempre dedicando ao benefício de todos os seres."
Eu pensarei, falarei e agirei como Tara. SOHA.

Meus amados,
Que teu olhar possa estar no caminho da brisa, assim como a Tara branca que com o vento leva embora toda consciência imperfeita e traz o frescor de um novo momento.
Que teu olhar possa ser a parcela que se identifica com o universo.
Que teu olhar possa ser a janela abrindo para o sol entrar, transformando em um fenômeno mais agradável e mais relaxado.
Desejo que seu olhar esteja na direção de Sannyas, um romance com sua própria existência, uma iniciação a liberdade, que você tome consciência das suas próprias asas, que você confie na sua existência... e no momento que esteja olhando além do horizonte, você possa confiar plenamente sem medo, sem preocupação, sem dificuldade. A vida está em suas mãos ou você confia ou passa a vida inteira em profunda frustração.

Namastê
Luciana Perez

Os Sentidos e a Sua Importância

Oi meus queridos, espero que estejam bem!

Venho com este texto resumido, complementar a nossa aula sobre os sentidos, é uma leitura que vai necessitar de um tempo da sua atenção e que vai também ajudar a conscientizar mais sobre os sentidos e a sua importância.

Desejo a todos uma ótima leitura e ao final que você tenha se libertado dos padrões normais do dia a dia.


Mantra da semana:

Kodóich, Kodóich, Kodóich, Adonai Tsebayoth


Interpretação: Santo, Santo, Santo, é o Senhor Deus, Soberano do Universo – ou: Santo, Santo, Santo é o Senhor Deus das Hostes.

Lembre-se que a vossa vida é a jóia mais preciosa que tendes. Esse mantra é imemorial, todos os povos antigos e sagrados o conhecem. Trouxe a vossa mente, como quem ancora diretamente o Fogo Divino e presenteia as Essências Divinas aqui viventes com essa via de proteção.
Repetimos: Utilizai este mantra para a proteção de vossos lares, usai-o para a proteção dos vossos corpos físicos e usai-o toda vez que vossa intuição indicar alguma possibilidade de perigo visível.

Namastê,
Luciana Perez

Saboreando o vento, escutando a água Por Karen Olson

Durante o meu ano de colégio eu sonhava acordada com as montanhas. Quando eu supostamente deveria estar estudando Historia da Arte, eu me encontrava desenhando pinheiros nas margens de meu caderno. Eu estava sempre alegre quando me encontrava pulando entre árvores, e eu cresci apaixona da pela idéia de passar um ano trabalhando ao ar livre antes de começar a ter que fazer o que me parecia inevitável: Viver sentada em uma mesa de trabalho.

No inverso seguinte eu aterrissei na Carolina do Norte (USA), onde trabalhava como garçonete durante a noite e tive sorte suficiente para conseguir um trabalho como guia de esqui na neve. Eu saboreei todas as horas que fui capaz de passar sobre a neve, me tornando uma grande e séria conhecedora de músculos, percebendo o cheiro da rocha molhada, saboreando o vento. No verão eu trabalhei para a U.S. Forest Service. Eu passei meus dias num mundo silvestre e selvagem, tendo que lutar contra incêndios, e por algumas semanas eu me vi pendurada em cordas sobre rios em montanhas geladas contando peixes. Eu me encantei com as experiências que testaram minhas capacidades físicas e como meu corpo foi capaz de realizar todas as tarefas.

Então como era previsto, eu comecei a trabalhar em um escritório sentada em frente a um computador. Embora eu gostasse de meu trabalho e de meus colegas, meu corpo sofria por passar 40 horas por semana sentada em frente a tela digitando. Meus olhos doíam. Meu pescoço doía. Eu me sentia acabada, cansada. Acima de tudo, eu perdi o sentimento, a sensação-especialmente, a sensação de me sentir bem. Então eu me demiti, fiz empréstimos, fui para uma escola de massagem. Lá eu era massageada e alongada por outros estudantes todos os dias durante seis meses, e eu experimentei uma outra forma de despertar fisicamente. Eu me tornei mais atenta aos meus apelos internos, algumas vezes prazerosos e outras vezes estressantes, para minha interação com o mundo.

Eu continuei nesse caminho de exploração. Através dos anos seguintes, apenas pesquisando e observando sempre, eu aprendi a cozinhar assistindo os chefes de cozinha e sentindo o cheiro dos molhos enquanto eu servia as mesas como garçonete nos restaurantes; tive experiência de trabalhar em vinícolas do vale Central da Califórnia; na primavera quente fui alpinista indo ao topo das montanhas; garimpei pedras preciosas para joalheiros; me tornei familiarizada com o gosto da seiva como também cortei lenha para fazer fogo.

Eu passei três meses num acampamento nas praias Australianas fazendo nada mais do que absolutamente nada, ganhei dinheiro suficiente para viver cantando em restaurantes com um amigo viajante onde ganhávamos 50 dólares e uma deliciosa refeição.

Eu vejo agora que sem realmente saber o que estava fazendo, ou porque, eu me encarreguei de ter tido uma educação sensorial. Respirando a vida através de todos os meus sentidos, não somente minha mente e meus pulmões, mudaram o jeito que eu experimentei o mundo. Eu vi as cores mais brilhantes, tive fortes lembranças, e me tornei mais receptiva para com as outras pessoas.

Eu nasci nos anos 60 como produto de um romance do mundo moderno, porém com um cérebro. Eu aprendi logo cedo como usar a lógica acima da inteligência sensorial “ Fatos acima dos sentimentos”. Em outras palavras, eu aprendi como viver bem em minha cabeça – não através do meu corpo, e certamente não através do mundo.


Os corpos humanos são desenhados para se movimentarem. Nossos sentidos ajudam nossa parte física a navegar pelas redondezas. Mas a maioria de nós no mundo moderno raramente confia em deixar que nossos sentidos encontrem nossas necessidades básicas.
Nos não precisamos sentir o aroma das frutas silvestres na floresta, ou ouvir o som de um alce se movendo vagarosamente entre a relva crescida para encontrar comida. Nós temos virtualmente predadores não naturais para fazer isso.

Para compensar toda essa inatividade sensual, nós temos tornado a procura pela sensação em uma indústria: Alguns de nós procuramos ou filmes de terror, alguns vão para esportes radicais, escalando montanhas ou saltando de para quedas; e ainda há aqueles que tomam café expresso durante o dia todo ou engolem um ecstasy. Em vez de usarmos nossos corpos e nossos sentidos para nos mantermos vivos, nós os temos relegado para nossa diversão.

Ao mesmo tempo que muitos de nós estão parados quase paralisados durante o decorrer do dia – no trabalho, no carro, na escola, em frente aos televisores e computadores – nossos sentidos, particularmente nossos olhos e ouvidos, se sentem massacrados pelo mundo moderno e diariamente assaltados pelo barulho, velocidade, mídia, poluição, e super estimulação de todos os tipos. Nós estamos acostumados a bloquear tudo isso – tanto fazendo alguma coisa entorpecida pela dor ou ignorando tudo ao mesmo tempo.

“ Por muitos anos, a perda de audição tem como causa central o excesso de barulho”, Astúrias no YES reporta. “Muitas evidências de qualquer modo, sugerem que um som irritante e intruso está ligado a problemas como pressão alta, baixa produtividade, e altos níveis de colesterol.”

Nós ficamos também paralisados em frente á televisão. De acordo com a mais recente pesquisa feita por A.C Nielsen Co., a média de horas que os americanos assistem TV por dia  é de 3 horas e 46 minutos, ou seja o equivalente a mais de 52 dias completos de horas por ano. Isso quer dizer que uma pessoa ao atingir 65 anos de idade, que corresponde a média de vida de uma americano, terá passado perto de 9 anos grudado na televisão.

Joseph Chilton Pearce, autor de “ The Crack in the Cosmic Egg” , professor em inteligência humana, criativa   e aprendizado. Ele é preocupado principalmente com a mente das crianças que assistem televisão. Numa recente entrevista para revista “ Journal of Living”, ele explica que as crianças são facilmente hipnotizadas por estímulos visuais que tenham cores vibrantes, como a televisão. Para manter a criança interessada e acordada, a industria televisiva introduziu “efeitos vibrantes, especiais, muito coloridos”, Pearce afirma. “As mentes infantis gradualmente se acostumam a esses efeitos. Como resultado, temos visto que a indústria televisiva nos últimos anos fez com que esses efeitos especiais se tornassem cada vez mais apelativos, até que finalmente hoje tenhamos uma explosão de violência imaginária.” Pearce reclama que essa estimulação massiva está causando um retardamento do desenvolvimento do cérebro em vários níveis.

Karen Olson não concorda com a afirmação que estamos perdendo nossos sentidos. Hoje professora de dança no Middlebury College e aoutora do livro Body and Earth, afirma.

O que eu penso é mais como se o ser humano estivesse se desassociando de seus sentidos e perturbando o equilíbrio do sistema de nossos corpos, o que faz com que passemos a experimentar um excessivo stress e consequentemente doenças.

Nossa vida diária se torna focada em cumprir crescentes listas justamente para poder cumprir nosso trabalho, nós nunca temos tempo para alimentarmos nossos sentidos. Nutrição sensorial não somente significa mais oportunidades para aproveitar nossas faculdades pouco usadas de toque e cheiro, mas também visão, audição e paladar no mais consciente estilo, em vez de simplesmente reagir ao bombardeamento de estímulos vindos de todas as atividades que nos rodeiam.

Se nós não nos apegarmos ao tipo de sustentação sensorial que precisamos, nós iremos encontrar outros meios de satisfazer essa necessidade.Vivemos num constante descontentamento econômico, com infinitas oportunidades de compras e orgias alimentares, tudo isso sendo usado como uma compensação para o vazio que temos dentro de nós.

Cresce o numero de vendas de antidepressivos, pílulas para dormir, e Ritalin está em alta. Como também o uso do narcótico OxyContin. É como um salvador enviado por Deus para pacientes com câncer, porque somente duas pílulas ao dia aliviam as dores consideravelmente. Mas a National Public Radio reporta que o roubo de OxyContin e a dependência estão crescendo em larga escala. O jornal “ The New York Times” reportou uma matéria na qual de acordo com o governo dos Estados Unidos, Nos Últimos 20 anos nenhuma droga de uso controlado foi tão largamente abusada logo após ser lançada como nos dias de hoje. O que é isso que esse povo não quer sentir?

A resposta pode ser que todos nós queremos calar a mesma coisa – a zoeira da vida  moderna.

Para participarmos inteiramente dessa vida, nós precisamos desenvolver nossa inteligência sensorial – nossa capacidade para melhor reconhecer e entender as mensagens que nossos olhos, ouvidos, pele, nariz e boca estão nos enviando. Isso não é apenas outra forma de nos fazer lembrar que devemos parar para observarmos e curtimos uma flor bonita, ou para sentirmos o cheiro da água salgada do mar. Isso é uma chamada para nos reengajarmos naquilo que nossos sentidos podem nos ensinar a cada momento, lições que esperam que possamos perceber e sentir tanto o belo como o feio. Nós temos que achar um caminho de volta aos nossos sentidos para nos tornarmos conscientes de que tudo que conhecemos é essencialmente um produto deles. Em outras palavras, é tempo para nós embarcarmos em nossa própria educação sensorial. Aqui temos algumas sugestões em como começar:

Acredite em seu corpo:
A maioria das pessoas no mundo industrial não se sentem jamais conectados com sua própria pele. Se eles não estiverem controlando isso, drogando isso, colocando isso em máquinas de exercícios – se eles não estiverem no controle da situação – então eles sentirão que estarão caindo aos pedaços.  Por isso saia deste condicionamento louco, trate a vida com mais facilidade.

Preste atenção:
Huston Smith, um estudante do mundo das religiões, notou que cada tradição espiritual tem praticas para prender a atenção das pessoas. Enquanto na cultura moderna nos somos treinados para produzir, não para prestar atenção, nunca é tarde para começar. Você pode tentar Yoga, Meditação ou os dois.

Fuja de um mundo de uma dimensão única:
Pense sobre quanto do seu dia você gasta olhando fixamente para o vazio: paginas de um livro em branco, a tela do computador, televisão. Enquanto você vê naquela única dimensão talvez atraia sua imaginação e seu intelecto, o ato de fixar seus olhos em uma simples distancia requer que seu corpo fique parado. Liberte-se de seus hábitos. Toque a tela do computador. Cheire as costas de suas mãos. Conheça o mundo dimensional sempre que puder.

Cozinhe uma refeição:
Nossa paixão pela comida de conveniência sufocou nosso paladar com o excessivo uso de açúcar, sal e todos os realçadores de sabor. Sabores sutis não nos apetecem mais. Uma solução simples? Comece cozinhando mais saudavelmente e completo. Dedique um tempo para cortar os vegetais vagarosamente. Saboreie os crus, cheire, preste atenção aos aromas.
Estudos mostram que se você gastar um tempo para cheirar e saborear a comida, você se sentirá satisfeito mais rapidamente. O que você precisa é menos; comer menos, comprar menos, assim vai sentir-se mais energizado. 

Seja realista:
Nós precisamos nos engajar nas tarefas reais, não em jogos sintéticos e estimulações que nos levam a variações comerciais da mesma coisa de sempre para  o resto de nossas vidas.

Seja um construtor, um observador:
Não subestime o valor de não se fazer nada! Grandes artistas, escritores, cientistas, e outras pessoas criativas tem esse fino traço de observador. Através de pequenas observações grandes idéias podem crescer.

Estude seu corpo:
Quais os sentidos que você favorece? Quais você negligencia? O que te coloca para baixo?

Eu penso que é tempo de nós como uma cultura, reconhecermos integralmente que vivemos nesse mundo. Nós estamos conectados com plantas e animais, estações, solo e cada um não importa quantas idéias e imagens e medos estejam rondando em nossas cabeças. E talvez, somente talvez, se realmente acordarmos nossa parte sensorial nós nos tornaremos mais saudáveis, mais conectados com os outros e menos vulneráveis ao estado de degradação do mundo atual. Nem sempre o que está acontecendo ao nosso redor é sempre bonito, há contudo muita coisa a nos encantar justamente do outro lado de nossa pele. Vamos Verificar isso, vamos ser receptivos e deixe o mundo nos surpreender.

Bibliografia.
“Tasting the wind, Listening the Water” by Karen Olson

DHARMA

Namastê, espero que estejam bem...venho falar um pouquinho de Dharma. Andei refletindo como é importante está palavra, vem da raiz dhr, que quer dizer “manter unido”. Então, dharma tem o sentido de preservar, de manter a coesão entre as pessoas e as coisas. Dentre outros significados, o termo aponta para as idéias de ordem, lei, filosofia, bem comum, ética, religião e conduta.

E semana passada tive o privilegio de observar um gesto de Dharma, um novo, porém muito querido aluno me abriu a porta do seu blog para que eu postasse minhas mensagens. Me fez pensar assim como é importante nos mantermos unidos, trabalhando juntos, crescendo juntos, para que possamos ter um mundo melhor dentro e fora.

Já parou para pensar qual é o teu dever? Se nunca o fez aproveite esse momento, pare neste instante o que está fazendo... qual o dever que temos com nós mesmos, com a nossa família, amigos, nossa sociedade, o universo. Algumas pessoas vivem mais olhando pra si, outros passam mais tempo olhando para os outros e você para onde olha?

Tudo isto está vinculado com a conduta individual e funciona como uma espécie de bússola para pautar as nossas ações. Esse tipo de dharma é chamado svadharma, significando seu próprio dever.

Assim quando escutamos pela primeira vez a historia de Arjuna na sua batalha pensamos que o dharma seja algo grandioso porém assustador, já que ele se vê no dever de matar seus próprios parentes e amigos. Porém, o svadharma não é algum destino maravilhoso ou fardo funesto que possa estar nos aguardando ao virar a próxima esquina.

Na Bhagavad Gita (III:35), o deus Vishnu, encarnado como Krishna, instrui Arjuna sobre o próprio dharma: “Mais vale cumprir o próprio dharma, ainda que de forma imperfeita, do que cumprir de maneira perfeita o dever de outrem. É melhor sucumbir desempenhando seu próprio dever. É perigoso cumprir deveres alheios”.

Assim podemos pensar que o svadharma seja um destino grandioso que precisamos encontrar, ou um sentido oculto para a nossa vida, sentido este que devemos achar antes que seja tarde demais, e que talvez seja perigoso, mas que precisamos cumprir... cumprir com seu próprio dever e nada mais.

Tudo isso nada mais é do que a forma adequada de usar o livre arbítrio, evitar ser dominado pelos nossos gostos ou aversões, pela visão daquilo que é certo ou errado... mas seguir sempre escolhendo entre o prazeroso e o certo é uma das coisas que nos faz crescer.

Um bom exemplo também é; “Aquilo que não quero pra mim, não faço para os outros”. Quando consigo escolher o caminho certo, mesmo apesar do meu próprio prazer e conforto, me fortaleço imensamente, sinto harmonia em meu Ser. Cabe lembrar que a palavra dharma significa, dentre outras coisas, ordem, harmonia.

Então lembre-se nunca é tarde para mudar o curso da vida, tome novos rumos se precisar, fique atento aos caminhos que se abrem a sua frente e escolher sendo prazeroso ou não estejam em harmonia com o bem comum.

Com amor,
Luciana


Gayatri Mantra

OM BHUR BHUVAH SVAH
TAT SAVITUR VARENYAM
BHARGO DEVASYA DHIMAHI
DHIYO YONAH PRACHODAYAT


Grande Mantra
De todos os Mantras, o Supremo e mais potente poder dos poderes, é o grande, o glorioso Gayatri Mantra. Ele é a vida e o apoio de cada verdadeiro Hindu. Ele é suporte de cada buscador da Verdade, que crê na sua eficácia, poder e glória, para qualquer que seja a casta, credo, região ou seita. Há apenas uma fé e pureza no coração da realidade. Deverás, o Gayatri Mantra está impregnado de uma armadura espiritual, uma verdadeira fortaleza que guarda, e protege, aos Seus devotos; que os transforma em Divinos e abençoa-os com a brilhante luz da elevada iluminação espiritual.

NOVO MANTRA

Namastê,

É hora de acordar... acordar para um novo tempo, um novo momento.
É hora de crescer... vamos juntos!!!
Estava pensando no que escrever pra vocês, comecei ler alguns textos importantes e cada qual tinha alguma semelhança, todos levavam a BHAVA e ao TODO.

Em algumas aulas vocês com certeza me ouviram pronunciar esta palavra, intenção de colocar sentimento na prática, amor...

Só que esta palavra vai muito além, assim como diz Satyananda:

“Comecei a entender que bhava, ou a dita divina, é uma imensa gratidão por a gente perceber que tudo ao nosso redor é Deus, que estamos mergulhados nessa amorosa companhia, nessa calorosa condição de amor incondicional.”

Yoga é bhava... sentimento puro e divino pulsando dentro de você, sem nenhum questionamento ou interpretação, é sentir, compartilhar. E para que você mantenha esse sentimento vivo... ahhh fechem os olhos permaneçam em estado de meditação, em estado de gratidão.

Cada aula estamos cultivando o aspecto mais puro que existe em cada um, então esse é o momento de despertar, quebre seus paradigmas, faça uma faxina interna.

Nós, humanos, ainda nos encontramos num estágio de consciência em que a realidade superior à qual damos o nome de Deus é questionada. Esta é apenas uma constatação que não merece julgamento ou crítica, é o que é.

Vamos aproveitar este momento e observar nossos julgamentos, nossa impaciência, nossas radicalidades... nossas opiniões racionais e iludidas sobre o outro, nossa inflexibilidade, seja no que for... Se você perceber que está puxando para isto, lembre-se de cada mantra de meditação e procure abstrair... lembrando que seu umbigo não é o centro do Universo.. paciência e tolerância meus Amados...

Sobretudo, Júpiter e Urano em Peixes nos lembram da força da fé e da crença. De acreditarmos nas coisas que se manifestam ... que possamos parar de sofrer com o amanha... vamos viver este momento!! Ele é o nosso TODO!

Luciana Perez


O MAHAMRITYUNJAYA MANTRA

"Venero o Senhor Shiva, aquele que possui olhos, Senhor de todos os sentidos e sustentador do universo. Conceda-me a imortalidade, liberta-me da morte assim como a fruta madura se desprende facilmente de seu talo."

O SIGNIFICADO

“OM” é uma sílaba que contém toda a consciência divina manifestada e não manifestada A vibração de seu som, inaudível aos nossos ouvidos, é perceptível ao ser interno. Tem o poder de purificar o ser interior, eliminar a desarmonia e incentivar mudanças nas pessoas ao redor.

“Tryambakam” significa três olhos. O aspecto divino possui três olhos. O terceiro olho é o da onisciência, da verdade suprema, da sabedoria indescritível.

“Yajamahe” significa, nós meditamos, adoramos, veneramos.

“Sugandhim” esta palavra é composta de su (bom) e gandha de (fragrância, odor). Deus é a fragância preciosa do amor ilimitado, puro, infinito e perfeito.

“Pushti vardhanam” Deus, que é onisciente nutre e sustenta todas as formas de vida porque Deus é a fonte de toda vida e, como tal, responde aos pedidos do devoto.

“Urvarukam-iva bandhanan” compara, figurativamente, a alma do homem com o pepino maduro que é facilmente libertado do seu talo.

“Mityor-mukshiya” é uma súplica "assim, Ó Deus, liberta-me da morte, de todas as limitações, de toda escuridão e infelicidade." A morte não significa só a morte física mas sim, a ignorância, a falta de devoção e desamor. Assim sendo, existem várias formas de morrer e o devoto pede a Deus que o liberte de todas elas.

“Mamritat” concede imortalidade. ‘Amrita’ significa imortalidade, néctar. Deus nos nutre com o néctar da imortalidade, nos brinda com saúde, força e sabedoria divina, valores eternos que nos preparam a fim de ter a experiência divina. A paciência, resistência, abnegação, pureza e anulação do ego são as condições prévias e essenciais para a realização divina. Tais qualidades representam o néctar da imortalidade

Resumindo, temos:

"Ó Deus Onisciente, nós O adoramos. Ó Deus pleno de fragrância, Tu és o grande provedor e sustentador de toda vida.Assim como o pepino ou a fruta madura se desprende facilmente de seu talo, assim também liberta-nos da morte, concedendo o néctar de Imortalidade."

Medite no significado deste Mantra enquanto você o repete. Dirija toda sua atenção interna para o onipotente, o onisciente. Onde quer que você olhe, Deus está lá: dentro de você, em seus olhos, em sua alma. Se você repetir o mantra desta maneira, receberá grandes bênçãos, Ele lhe concederá melhor saúde, preservando-o de todos os tipos de infelicidade, todo seu ser se transformará, você se tornará uma nova pessoa. Este mantra é uma grande benção. Repita-o incessantemente com grande devoção e concentração. Quanto maior sua devoção e fé em Deus mais poderoso o mantra se tornará. Se vierem distrações, transforme-as em meios para sentir Deus. No seu dia a dia, não se ocupe com maledicências e demais atividades mundanas, mantenha o silêncio interior e a contínua repetição mental do mantra.


COMO PRATICAR O MANTRA

De preferência usar um rosário de Rudraksha e com o dedo mediano e o polegar mover as contas. Coloque um recipiente, cheio de água, em frente a você. Ao completar a repetição do mantra 108 vezes, beba a água. Pode-se também borrifar um pouco desta água ao redor do quarto ou dentro do recinto cantando o mantra. Isto fará com que a energia negativa ao redor do ambiente seja destruída. O efeito deste mantra aumenta quando ele é cantado concentrando-se no Mahamrityunjaya Yantra.

EVOLUINDO

Namastê,

Gostaria de encontrar a palavra certa que coubesse no coração de cada um de vcs... inspirando!
Recebi um e-mail algumas semanas atrás de uma linda aluna, e-mail no qual mostra o quanto preciosa estão nossas aulas... mas não sou eu e nem você... somos o todo, somando nossas energias e acima de tudo nossa vontade de evoluir e que por algum motivo recebemos auxilio do eterno... que benção.

Somos juntos merecedores dessa nova jornada, assim ao entrar na sala de Yoga, faço como se estivesse entrando em um templo de amor, paz e evolução.

È o momento de meditar!!! Iremos treinar em sala, mas faça em casa, no carro, no trabalho, pratique essa filosofia durante o seu dia a dia e lembre-se que o Yoga te escolheu, então não crie barreiras ou empecilhos para que você possa praticar e assim crescer como Ser que é.

A meditação é o caminho que nos tira da superficialidade para nos levar o que é realmente profundo e verdadeiro. Comece aprender a ser uma pessoa completa, tornando-o infinitamente melhor... somos um com a fonte de nosso ser...nosso criador!

A maioria de nos vivemos em um estilo de vida moderno e materialista, sem nenhum conhecimento do que é realmente profundo e verdadeiro. Sem perceber todas as possibilidades que estão disponíveis para que possamos viver melhor e pleno.

A meditação pode ser um caminho que nos liga a fonte ao verdadeiro. Aproxime do centro do seu ser, penetre em seu coração o resultado disso é; plenitude, harmonia, unicidade e energia.

Se alguém se perguntar: que energia... nunca senti nada!!! Tenho certeza que já se emocionou com a energia da criação, ao olhar um simples por do sol, ao ver um pássaro voando, a lua cheia brilhando, rio passando, o amor chegando, o sorriso de criança, a verdadeira esperança.

Ahhh se lembrou... tenho certeza que sim!!! Essa energia Divina que encontramos e guardamos em nossos corações e que podemos resgatar quando quisermos.

Então, por que com o tempo não recordamos mais esses momentos?

Sente-se... fechem os olhos, ouça a voz do seu coração, ele quer lhe mostrar como a vida pode ser bem melhor!!!

Viva o teu presente, que aqui é Todo, do Todo nasce o Todo, tirando-se o Todo do Todo o Todo Permanece, Om Shanti, Shanti, Shanti... Que haja Paz, Paz, Paz...

Assim é este mantra:

OM Poornamadah — ऊँ पूर्णमदः
ऊँ पूर्णमदः पूर्णमिदम् पूर्णात् पूर्णमुदच्यते ।
पूर्णस्य पूर्णमादाय पूर्णमेवावशिष्यते ।।

OM poornamadah poornamidam
poornaat poornamudachyate
poornasya poornamaadaaya
poornamevaavashishyate

http://www.youtube.com/watch?v=qPHiqDXIZEM

De todo meu coração onde vive o eterno e imutável,
desejo a vocês o caminho da luz Divina.

Shanti,
Luciana