..

"A alma que não se abate, que recebe indiferentemente tanto a tristeza como a alegria, vive na vida imortal."Fonte - Bhagavad-Gita

terça-feira, 9 de julho de 2013

Saudade




Saudade, quem não tem saudade... de um tempo, momento, pessoa! Saudade são as vezes lembranças suaves e muitas vezes arrebatadora que nos sacodem e nos tiram do nosso caminho. Quando esse sentimento nos envolve junto dele vem o desejo de tornar a viver a mesma situação, ou de tornar a ver aquele antigo ou recente amor e assim viver mais uma vez aquela mesma cena que agora passa como um raio sobre nossa mente .

Nem sempre somos capazes de lidar com esse sentimento pois, vivemos no mundo do MEU... e a saudade muitas vezes se transforma em sofrimento como um furacão, pronto para destruir tudo a sua volta.

Assim, tudo que construímos no caminho do auto-conhecimento e na busca da evolução acaba desaparecendo quando não conseguimos dissolver a possessividade através do ego.

Se pensarmos e agirmos no princípio que tudo nesta vida é transitório e passageiro que não devemos nos apegar a nada, pois tudo um dia vai deixar de existir neste plano. Se seguirmos neste ensinamento básico a saudade não será um furacão, mas uma brisa suave tocando seu rosto.

Nas Upanishads aprendemos que: "não é pelo amor ao esposo, que o esposo é amado. Ele é amado por amor ao Ser, que em sua verdadeira natureza, é uno com o ser amado".

Assim, se a saudade bater ... a saudade do filho, do amigo, da mãe, do seu parceiro, não fuja vendo televisão, lendo um livro, saindo com os amigos. Mas penetre na saudade encontrando nesse momento o despertar do melhor em ti, generosidade, disposição, amorosidade, alegria, coragem, verdade.

Lembrando que o amor que depositaste no outro foi simplesmente o amor que tu sentes pelo Divino. Deixe viver e siga enfrente!

Namastê
Lu Perez

Nenhum comentário:

Postar um comentário