..

"A alma que não se abate, que recebe indiferentemente tanto a tristeza como a alegria, vive na vida imortal."Fonte - Bhagavad-Gita

quarta-feira, 24 de outubro de 2012

Ásana






yogicphotos


asana é um meio para se conseguir meditar em paz, e não um fim em si mesmo.
Não tente se concentrar no que você não consegue fazer: focalize sua atenção no que lhe resulta possível hoje.
Leve em consideração que as fronteiras da flexibilidade e do alongamento mudam continuamente.

Permaneça atento para perceber as mudanças na paisagem interna ao longo da prática.
asana revela as dificuldades do corpo, mas é ao mesmo tempo a ferramenta para corrigir aquelas
que podem ser superadas, ou aceitar as que não podem ser mudadas.

A dor física que pode surgir na prática tem dois diferentes aspectos:
um aspecto está vinculado ao corpo; o outro, às emoções.
É preciso saber distinguir essas duas fontes de dor.

Dentro da dor física, é preciso separar a construtiva da destrutiva.
A dor construtiva é a que você sente quando trabalha e fortalece a estrutura ósseo muscular.
A dor destrutiva é a que se sente dentro das articulações, ou quando nervos são comprimidos.

Mantenha o equilíbrio e a equanimidade.
Evite deixar-se arrastar pelo falatório da mente enquanto estiver praticando. Seja pragmático e eficiente.
Nao se enrole. Evite distrair-se. Evite ficar tenso na postura. Relaxe no esforço.
Mantenha o corpo firme, mas não duro. Leve, mas não mole.

Aprenda a ouvir o diálogo entre o corpo e o asana. Lembre que não existem posturas perfeitas.
Adapte as posturas a seu corpo. Nunca faça o contrário, pois isso é violência.

Nos asanas e na vida, na medida em que a consciência se expande,
aprendemos a identificar os momentos em que começamos a sair do estado de equilíbrio,
e assim adquirimos a habilidade de corrigir o rumo antes que o desequilíbrio se manifeste.
Namastê
Lu


2 comentários:

  1. Olá Luciana, tudo bem?
    Muito bom seu texto sobre ásana! É bem por aí que se caminha na conquista da posição firme e agradável, do autoconhecimento, e do desabrochar do estado de consciência de Yôga, união e integração.
    Agora, humildemente, peço a gentileza de colocar os créditos na foto. Fotógrafa: Fernanda Vasconcelos e Modelo: Marina Engler (eu).
    Um grande abraço.
    Amor & Luz.

    ResponderExcluir
  2. Namastê Mariana, espero que esteja bem e feliz... Quando baixei a foto nela não estava escrito a modelo e ou fotografa. Desculpe estou redefinindo o artigo com outra foto. Abraço fraterno

    ResponderExcluir