..

"A alma que não se abate, que recebe indiferentemente tanto a tristeza como a alegria, vive na vida imortal."Fonte - Bhagavad-Gita

quarta-feira, 20 de março de 2013

Ahimsa - Força não provém da capacidade física, e sim de uma vontade indomável.








A não-violência não existe se apenas amamos aqueles que nos amam. Só há não-violência quando amamos aqueles que nos odeiam. Sei como é difícil assumir essa grande lei do amor. Mas todas as coisas grandes e boas não são difíceis de realizar? O amor a quem nos odeia é o mais difícil de tudo. Mas, com a graça de Deus, até mesmo essa coisa tão difícil se torna fácil de realizar, se assim quisermos.

A felicidade não está em viver, mas em saber viver. Não vive o que mais vive, mas o que melhor vive. Ahimsa (não-violência) é o atributo da alma e por isso deve ser praticado por todos, em todos os momentos da vida. Se não pode ser praticado em todas as áreas da vida, então não tem qualquer valor prático.

Creio que a não-violência é infinitamente superior à violência, o perdão é mais nobre que a punição. O perdão enobrece um soldado.
A não-violência não consiste em renunciar a toda luta real contra o mal. A não-violência, tal como eu a concebo, é, ao contrário, uma luta mais ativa e mais real contra o mal que a da Lei de Talião, cuja natureza própria é desenvolver, com efeito, a perversidade.

Considero que lutar contra o que é imoral pressupõe uma oposição mental e, conseqüentemente, moral. Busco neutralizar completamente a espada do tirano, não a trocando por um aço melhor, mas iludindo sua expectativa de encontrar em mim uma resistência física. Ele encontrará em mim uma resistência de alma que escapará à sua força. Tal resistência o deslumbrará e o obrigará a inclinar-se. E o fato de inclinar-se não humilhará o agressor, mas o enaltecerá. Podemos dizer que isto seria um estado ideal. E o é!

O teste maior da não-violência está no fato de não ficar qualquer rancor depois de um conflito não-violento, com os inimigos se convertendo em amigos. Essa foi minha experiência na África do Sul com o General Smuts. Ele começou como o meu oponente e crítico mais encarniçado. Hoje, é meu amigo mais caloroso.

Só quando se vêem os próprios erros através de uma lente de aumento, e se faz exatamente o contrário com os erros dos outros, é que se pode chegar à justa avaliação de uns e de outros.

Não acredito nos atalhos violentos para o sucesso. Apesar de eu admirar os motivos nobres e simpatizar com eles, sou incondicionalmente adverso aos métodos violentos, embora a serviço da causa mais justa. A experiência me convenceu que um bem permanente nunca poderá ser fruto de não-verdade e de violência.

Constatei que a vida persiste mesmo em meio à destruição e que deve, conseqüentemente, existir uma lei mais alta que a da destruição. Será unicamente através de uma tal lei que a sociedade organizada poderá ser compreendida e que a vida valerá a pena ser vivida. Ora, se tal é a lei da vida, devemos aplicá-la em nossa existência diária. Onde houver conflito, onde houver oposição, triunfe através do amor. Através de tal método rudimentar coloco em minha vida esta lei. Isto não significa que todos os meus problemas encontrem solução. Mas constatei que esta lei do amor se mostra tão eficaz que jamais tive em mim a lei da destruição.
Temos de fazer com que a verdade e a não-violência não sejam metas apenas para a prática individual, mas para a prática de grupos, comunidades e nações. Esse, pelo menos, é o meu sonho. Viverei e morrerei tentando realizá-lo. Minha fé me ajuda a descobrir novas verdades a cada dia que passa.

Mahatma Gandhi 


AHIMSA – significa não ferir nenhum ser nem causar sofrimento, através de pensamento, palavra ou ação.
Vamos exercitar ahimsa, reflita sobre essas frases!
1. Respeitar aos outros é importante para mim?
2. Eu sinto dor quando causo dor aos outros ou vejo alguém sofrer?
3. Eu tento não alimentar pensamentos negativos sobre ninguém?
4. Eu tento esquecer aqueles que me causaram algum dano e não sou vingativo?


Mais do que não ser violento, é não ter nenhuma intenção violenta; é a não violência em pensamento, palavras e ações. Perceba o quanto tens de ahimsa em sua vida e em que momento do seu dia você deixa de praticá-lo. 

Somos responsáveis por toda violência no nosso planeta, pois se vibramos nesse campo energético, abrimos para que outro ser usufrua desta energia; Sendo assim, amados, nós somos responsáveis por pelo menos uma morte ou um assalto no nosso planeta. 

Então; o que vc deseja vibrar daqui por diante? Ative a sua natureza sublime, gentil e suave do verdadeiro EU.




A mensagem principal de todos os santos e sábios é a mensagem do amor. Ahimsa é a mais alta das qualidades encontradas na mente, fala e ações das almas perfeitas. Há somente uma religião – a religião do amor e da paz. Há somente uma mensagem, a mensagem do amor incondicional e universal. Ahimsa é o supremo dever de um Yogi. Se você está estabelecido em Ahimsa, você já obteve todas as virtudes. Todas as virtudes nascem de Ahimsa.

Vivemos nos comprometendo com a balança, com a segunda-feira;  vamos também nos comprometer em somente proferir palavras de amor, verdade, de carinho e cuidado, e evitar as palavras ásperas e o modo bruto de dizê-las. Observe o silêncio. 

Da mesma forma como as atitudes violentas foram domadas, a fala violenta também diminuirá e desaparecerá completamente. No final você aprenderá a domar inclusive, os seus pensamentos destrutivos e violentos. 

Você é a parte sublime do Divino, toda essência e amor ; Lembre-se :você não é os seus pensamentos, nem ego, nem conhecimento, sentidos ou trabalho, eles são apenas um produto de sua natureza ou Prakriti. 

Toda vez que um pensamento violento aparecer, lembre-se do Senhor que habita em todos nós. Violentar qualquer aspecto de Deus é uma violência contra você mesmo. Amando a Deus, a qualquer aspecto dele, amamos a nós mesmos. Isso é a maior prática de yoga e o maior presente que você poderia oferecer ao universo.

Namastê 
Lu Perez



Nenhum comentário:

Postar um comentário