..

"A alma que não se abate, que recebe indiferentemente tanto a tristeza como a alegria, vive na vida imortal."Fonte - Bhagavad-Gita

sábado, 28 de janeiro de 2012

Caminhada




O novo momento para mim chegou um pouco antes do que eu esperava, arrumando a minha morada interna e também dando um jeitinho na morada externa!

Dar conta de tantas coisas nem sempre é tão fácil, ufaa...desejo mesmo que quando tudo isso acalmar possa ver melhor, ser melhor e viver melhor. Gosto da ídeia de unir palavras e emoções..então vamos lá!

" O privilégio da existência é ser quem você é". Joseph Campbel

É  essa  a caminhada que gostaria de fazer com vocês hoje...Quantas vezes nós nos questionamos, cobramos,  criticamos e tantas outras vezes que desejamos ser quem não somos!!! Passo muito tempo me cobrando e tenho certeza que escrevendo isso muitos de vcs estão se indentificando. 


Olha o Yoga fora do mat mais uma vez! Saber observar, respirar, relaxar, enfim... me incluo em cada palavra e virgula. Somos Seres em crescimento, não somos?

Então vamos juntos criar o nosso espaço interno sagrado e divino, vamos ser livres das nossas próprias culpas, das nossas próprias cobranças. Vamos ser livres e não trocar a corrente velha pela nova. Vamos começar a sentir mais compaixão por nos mesmos e que possamos estar feliz com o que realmente somos. Deixo pra vocês esta linda história!

Com amor 
Tia Lu




Recado do Cachorro

Certa ocasião estava na mata com muita sede. Havia me pérdido do meu dono e há alguns dias não conseguia nada para comer ou beber.

De repente, surgiu à minha frente um lindo lago. Era a primeira vez que eu via um lago. Antes eu sempre tivera água numa tigela que meu dono enchia e me oferecia.

Instintivamente, fui correndo até a margem para saciar a sede  e vi minha própria imagem espelhada na água. Tomei um grande susto e, apavorado, saí correndo e latindo, entocando-me num arbusto.

A sede, no entanto, era tão grande que fui outra vez, bem cauteloso, até o lago. Mas chegando lá, de novo assombrei-me com meu próprio reflexo e voltei correndo para a mata. Repeti esse movimento algumas vezes. 

Até que, cansado e muito sedento, em dado momento, enfrentei o medo, encarando minha imagem, e em seguida lancei a cara na água. O reflexo se desfez e bebi á  vontade.

Mais tarde, saciado, pensei: " Que grande aprendizado!...
 Kau Mascarenhas

Não vou escrever a moral da história, pois gostaria que você pensasse por si só a respeito dela.

Nenhum comentário:

Postar um comentário