..

"A alma que não se abate, que recebe indiferentemente tanto a tristeza como a alegria, vive na vida imortal."Fonte - Bhagavad-Gita

segunda-feira, 9 de junho de 2014

Morte e Renascimento




No Hinduismo esse ciclo de vida - morte – renascimento é chamado de samsara que tem como significado “volver em ciclos”. 

Nas escrituras vedicas se diz que se produz dois tipos de ações; punya, o resultado de boas ações, e pápa, o resultado de más ações. Sendo o ser humano livre para executar suas ações através do seu livre arbítrio podendo escolher viver em punya ou papa sendo responsavél por cada uma delas.  

Sendo assim, vai sendo armazenado em sua conta todas as suas ações boas e más, que serão contabilizados, manifestando-se no nascimento seguinte. 

Porém, caminhamos para a maestria e ascessão para que possamos liberar–se desse ciclo de samsara e viver livre na consciência suprema.

Podemos presenciar durante a trajetória da nossa vida a dissolução da morte, que pode estar relacionado com o ego, raiva, intriga, ilusão, apego. Passamos no estágio seguinte a renascer naquele exato momento em que liberamos essas prissões que vivem nossa alma. 

Quando se consegue encerrar um ciclo podemos sentir o nascimento do novo, sem precisar que se morra no físico. Estamos sendo a todo instante chamado pelo supremo para que possamos nos liberar e viver uma vida simple, gosto muito da história de Jonas que acredito ter a ver com a morte de algo para o nascimento de outro

Em algum momento, ele ouviu dentro dele o chamado do Supremo, dizendo muito claramente dentro dele: “Jonas, vá para Nínive, que eu quero falar através de você; eu quero salvar aquele povo.” Jonas foi para o caminho contrário... Entrou clandestinamente em um barco, alojou-se no porão e começou a dormir. O resto da história vocês conhecem...
Resumidamente: veio uma grande tormenta... A população do barco estava desesperada, porque todos iriam morrer. Encontraram Jonas dormindo no meio daquela tormenta, e se questionaram como era possível dormir naquelas condições.  Eles jogaram os dados para entender o motivo daquela tempestade (naquela época eles falavam com o “invisível” através dos dados)... Descobriram que era porque havia um clandestino no barco. Então, atiraram Jonas do barco, e na hora a tormenta passou... Em seguida Jonas foi engolido por um monstro marinho, e dentro do monstro ele se lembrou de Deus, ouvindo a sua voz novamente: “Jonas, vá para Nínive.” Ele não queria ir para Nínive, porque ele tinha uma mágoa em relação àquele povo, e não queria que eles se salvassem. ( Prem Baba)

Namastê
Lu Perez

Nenhum comentário:

Postar um comentário