..

"A alma que não se abate, que recebe indiferentemente tanto a tristeza como a alegria, vive na vida imortal."Fonte - Bhagavad-Gita

terça-feira, 19 de janeiro de 2016

Yoga e Fé (escrito pelo Padre Zézinho)



Yoga e Fé (escrito pelo Padre Zézinho)
Testemunho de um pregador católico, por Padre Zezinho
Muitas pessoas me perguntam se um cristão pode praticar Yoga, a qual inadvertidamente identificam como uma religião ou uma filosofia estranha. Não falta, inclusive, quem considere o yoga um caminho que, segundo elas, pode afastar alguém da fé.
Deixarei aqui registrado meu depoimento como padre católico. Aprendi como o Yoga durante o período em que precisei, de maneira especial, dessa disciplina para superar extrema tensão e cansaço. As leituras dos livros do prof. Hermógenes, a quem mais tarde conheci pessoalmente e a quem muito prezo, foram, sem sombra de dúvida, um caminho que até hoje me devolvem o controle de mim mesmo em situações difíceis. Junto à Bíblia, tornou-se meu jeito de trabalhar sem permitir que as tensões se somatizem.
Em nenhum momento ninguém, nem livro algum me influenciou negativamente ou desviou minha fé em Jesus e na minha igreja. Só cresci com essa disciplina. Hoje, quando me perguntam sobre o Yoga, respondo que é um conceito de vida rico em sabedoria, não importa de onde ou de quem tenha vindo, porque sei que nele está o dedo de Deus.

O verdadeiro mestre do Yoga é como o verdadeiro pregador do cristianismo. Oferece um caminho e respeita os passos e a direção de quem o ouve. Se alguma vez o Yoga influenciou algum cristão, imagino que não tenha sido para o erro. A pessoa provavelmente já devia estar confusa. Yoga e cristianismo são duas disciplinas que só me fizeram bem. Continuo pregador sereno e tudo o que li e aprendi jamais me levou ao conflito.

Fiz minhas escolhas como Paulo, que soube aprender e até elogiar outras culturas. Cristãos serenos aprendem com a serenidade dos outros. Os menos serenos procuram com lente de aumento os defeitos dos outros e fazem de tudo para não aprender. Gostam muito de ensinar, mas negam-se a aprender. E isso não deixa de ser um tipo de fanatismo. Nunca tive dificuldade em assimilar o que é bom em todas as filosofias e práticas de outros povos. Nunca foi necessário fazer concessão à minha fé em Jesus.


Quando alguns católicos me perguntam se podem praticar Yoga, eu lhes indago se alguma vez já jogaram futebol ou fizeram ginástica. Respondem que sim. “Assimilaram os outros esportes como futebol, vôlei… e não deixaram de ser cristãos.”
Lembro que o Yoga tem conceitos vindos de outras culturas, mas estes podem ser tranqüilamente adaptados ao nosso modo cristão de ver a vida. O cristianismo tem muito a ensinar, mas tem muito a aprender também com outras culturas. Ser evangelizado subentende isso: saber elogiar as flores de outros e até plantá-las no próprio jardim.
O Yoga é uma dessas riquezas que fazem bem, quando a cabeça é boa e o coração sereno. O mundo está cheio de gente sábia.
O professor Hermógenes e seus amigos sabem o quanto eu respeito sua sabedoria. O mundo teria mais saúde física e mental se os ouvisse. Que Deus os ilumine!
Fonte: Depoimento ao IX Congresso Brasileiro de Yoga, setembro de 1998, organizado pela ABPY

Jaya HariOm

Nenhum comentário:

Postar um comentário